Com mais de 500 atividades ao longo da programação, 65ª Feira do Livro começa hoje em Porto Alegre
capa

Com mais de 500 atividades ao longo da programação, 65ª Feira do Livro começa hoje em Porto Alegre

Evento terá abertura no Teatro Carlos Urbim, às 18h30min

Por
Correio do Povo

Feira do Livro segue até o dia 17 de novembro

publicidade

A 65ª Feira do Livro de Porto Alegre começa nesta sexta-feira com a festa de abertura, às 18h30min, no Teatro Carlos Urbim (Av. Sepúlveda). São 65 anos ininterruptos promovendo o livro e a leitura e a aproximação entre leitor e escritores. Um encontro cultural que oportuniza, congrega e une as pessoas em torno de ações culturais. A patrona deste ano é a escritora, professora e contadora de histórias Marô Barbieri.

Até o dia 17 de novembro, será oferecida uma programação preparada pela Câmara Rio-Grandense do Livro. Contará com a presença de autores gaúchos, mais de 600 sessões de autógrafos e mais de 500 atividades, entre encontros, conversas e debates. Participarão dos encontros com o público 150 autores brasileiros e 12 escritores internacionais.

Nas oficinas do evento estarão escritores, pesquisadores e profissionais do mundo do livro oferecendo suas habilidades e técnicas em atividades gratuitas que contemplam diferentes etapas e perspectivas sobre o fazer literário, a leitura, a produção textual e o trabalho criativo.

Conforme o presidente da Câmara do Livro, Isatir Bottin Filho, “esta será a Feira da inclusão, da acessibilidade e da inovação”. Isatir lembra que a estrutura montada e as diversas ações que serão desenvolvidas durante o evento fazem parte do projeto “Feira do Livro 65 Anos”, com o objetivo de tornar os espaços mais acessíveis, atraentes e seguros.

Inovação

Participam da festa literária 106 expositores – 86 na Área Geral, 13 na Área Infantil e Juvenil e sete na Área Internacional. Uma das novidades, dedicada ao público jovem e adulto, é o espaço Arena Inovação, que abre hoje, com a Mostra de Projetos de Iniciação Científica, promovida pela Secretaria Municipal de Educação de Novo Hamburgo, das 9h às 18h.

No sábado e domingo, das 9h às 20h30min, acontece “Hackatown: Democratização da leitura”, com palestras sobre questões ligadas à leitura no país, dos desafios às novidades no setor. Os participantes serão reunidos em equipes para idealizar soluções a partir da abordagem design thinking (conjunto de métodos e processos para abordar as ideias criadas). 

Haverá ainda um espaço para a “Literatura Oral – A palavra como patrimônio”, tema central da Área Infantil e Juvenil nesta edição, com destaque para a Literatura Indígena e a Literatura Afro-Brasileira. É com esse foco que os encontros, seminários e contação de histórias foram desenvolvidos. A programação infantojuvenil e as atividades para professores têm como objetivo principal contribuir para a formação de leitores e mediadores. 

Páginas do mundo

No sábado, às 16h30min, no Auditório Barbosa Lessa, no Centro Cultural CEEE (Andradas, 1223), o debate será do Brasil aos coletes amarelos franceses, com três reconhecidos autores internacionais em encontro que tem a participação do jornalista gaúcho Juremir Machado da Silva. Participam o francês Philippe Joron e os italianos Vincenzo Susca e Fabio La Rocca.

Neste mesmo local, o escritor sueco Mats Strandberg também é destaque no sábado, às 18h, ao apresentar seu livro “A última Travessia” (Editora Morro Branco), que tem tradução de Fernanda Sarmatz Akesson. Com tradução simultânea. Terá ainda conversa com a Patrona, Marô Barbieri, às 17h, em um sala do centro cultural, com Dilan Camargo, Cíntia Moscovich e Patrícia Langlois. 

Aos sábados, a feira vai funcionar a partir das 10h. Nos outros dias, as bancas da área infantil estarão abertas das 9h30min às 20h30min e os setores geral e internacional, terão funcionamento das 12h30min às 20h30min. Quem quiser mais detalhes sobre a Feira do Livro, pode acessar o site do evento.