Depressão de inverno: entenda como os dias frios e nublados afetam a saúde mental

Depressão de inverno: entenda como os dias frios e nublados afetam a saúde mental

Motivo da tristeza e estresse tem relação com a pouca luminosidade e menor exposição ao sol

Correio do Povo

Rio Grande do Sul enfrenta uma sequência de dias de frio intenso

publicidade

Países tropicais como o Brasil são reconhecidos por seus dias ensolarados, temperaturas médias elevadas e baixa amplitude térmica (pouca diferença entre as temperaturas mínima e máxima). Mesmo assim, no inverno, cerca de 1% da população, o que representa mais de mais de 2 milhões de brasileiros, é afetada pela depressão ou ansiedade climática.

Nesse contexto, quem mora no Rio Grande do Sul corre mais risco de apresentar sintomas do transtorno afetivo sazonal, já que o estado enfrenta uma sequência de dias de frio intenso desde o começo do inverno. Na manhã desta segunda-feira, o município de Pinheiro Machado, na Serra do Sudeste gaúcho, os termômetros anotaram a marca de 9,1ºC abaixo de zero, a menor temperatura do ano no RS.

Os dados do Departamento de Psicologia Médica da King’s College/Universidade de Londres mostram que dias nublados, chuvosos e frios levam a alterações emocionais, no sono e no humor.

O psicólogo Guilherme Alcântara Ramos, mestre em Análise do Comportamento, explica que a redução da luz solar atrapalha o funcionamento adequado do hipotálamo. “Essa região cerebral é importante para a produção de hormônios e regula várias funções do organismo. No inverno, quando as noites são mais longas e escuras, ficamos mais sujeitos a alterações emocionais.”

De acordo com Guilherme, que também é professor de Psicologia do UniCuritiba, a exposição ao sol estimula a produção de serotonina, dopamina e outros neurotransmissores que atuam no humor e na capacidade de lidar com o estresse e a ansiedade.

“No inverno, por causa do frio, as pessoas tendem a fazer menos atividades físicas e a sair menos de casa para encontrar amigos ou para atividades de lazer. Isso aumenta os sintomas, sendo importante adaptar a rotina e a vida social a atividades compatíveis com o clima desse período”, diz.

Veja os sintomas mais comuns da depressão de inverno:

• Sonolência ou insônia
• Variações no apetite
• Cansaço
• Fraqueza
• Desânimo
• Baixa motivação para as tarefas diárias
• Isolamento social

Como lidar com as emoções

A psicóloga Daniela Jungles, também professora do UniCuritiba, explica que o clima é um estressor universal e a maioria das pessoas reage, física e emocionalmente, em menor ou maior grau, às oscilações de calor, frio, chuva ou vento. Para lidar com o inverno sem abalar o emocional, a especialista ensina algumas boas práticas:

😴 Descanse: aproveite o clima para desacelerar, relaxar e valorizar a permanência em casa. O descanso traz uma sensação de calma porque diminui o nível de cortisol, hormônio ligado ao estresse.

📖 Coloque a leitura em dia: ler tem efeitos positivos no cérebro, proporciona sensação de bem-estar e contribui para afastar as preocupações do dia a dia. Outra opção é aproveitar os dias frios e cinzentos para ver um bom filme ou série.

Veja Também

🍲 Cozinhe: as refeições estão diretamente ligadas às sensações de prazer e afeto. Cozinhar é um poderoso antidepressivo natural e uma ótima atividade para se distrair.

👩‍👩‍👧‍👦 Evite o isolamento social: As conexões sociais são importantes. Por isso, mesmo em casa, organize encontros com amigos e familiares. A internet facilita o contato com quem mora longe. Crie o hábito de fazer videochamadas para conversar com pessoas queridas.

Os professores ainda reforçam a importância de cuidar da saúde mental. “Não deixe que a ansiedade climática ou depressão de inverno se instale. É importante tomar medidas proativas para cuidar da saúde física e mental. Se você já sabe que o inverno afeta suas emoções, redobre os cuidados”, orienta Daniela.

Outra dica, lembra o psicólogo Guilherme, é procurar ajuda. “Se você não consegue lidar sozinho com as emoções associadas aos dias frios, cinzentos e chuvosos, busque orientação de um profissional enquanto espera pela primavera ou verão.”


Mais Lidas

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895