Empresários do transporte de Porto Alegre sugerem tarifa de R$ 5,20

Empresários do transporte de Porto Alegre sugerem tarifa de R$ 5,20

Prefeitura irá analisar a proposta em reunião mediada pelo Judiciário

Taline Oppitz

Segundo o secretário de Mobilidade Urbana, a sugestão não aborda apenas a questão financeira mas também falhas no sistema

publicidade

A prefeitura de Porto Alegre está analisando a proposta feita pelos empresários do transporte coletivo da Capital na segunda reunião de conciliação, mediada pelo Judiciário. Segundo o secretário de Mobilidade Urbana, Luiz Fernando Záchia (MDB), a sugestão não aborda apenas a questão financeira, de elevar a tarifa dos ônibus para R$ 5,20, mas também falhas no sistema e melhorias que terão de ser implementadas, inclusive no contrato firmado em 2015.

Sobre o valor sugerido pelas empresas, Záchia afirmou que a prefeitura terá de realizar uma equalização. “Precisamos de razoabilidade neste momento econômico muito delicado, que afeta o bolso do cidadão. A mediação é extremamente importante. Estamos discutindo para que as correções do custo da tarifa sejam reduzidas. Temos de chegar a um preço condizente e que esteja dentro da possibilidade dos usuários. Não se trata de ser justo ou injusto”, disse, em entrevista ao programa ‘Esfera Pública’, da Rádio Guaíba.

Záchia mencionou ainda o impacto da pandemia não apenas na renda das famílias, mas também para as empresas que operam o transporte coletivo, que estão administrando queda de cerca de 50% nos passageiros. “Não existe passe de mágica. Vamos discutir com todos os envolvidos. Além da pandemia, os gastos com diesel e pneus subiram. Temos de trabalhar para reduzir estes custos”, afirmou.

O secretário destacou ainda que a atuação da Carris, responsável por 22% da malha de Porto Alegre, está inserida no contexto e precisa ser ajustada ao momento. “Vamos buscar receitas extras e visar no fundo para o transporte coletivo, mas temos convicção de que precisamos de tempo e de calma. Assim como está, não dá mais. O transporte colapsou”, disse Záchia. Uma nova reunião de medição com o Judiciário está marcada para a próxima quarta-feira. 


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895