MP-RS pede suspensão de atividades da Geral do Grêmio após atos violentos no CT

MP-RS pede suspensão de atividades da Geral do Grêmio após atos violentos no CT

No âmbito esportivo, Tricolor suspendeu quatro organizadas envolvidas no protesto

Correio do Povo

Até o momento, Grêmio alega ter identificado 30 envolvidos

publicidade

As consequências do protesto violento no portão do CT Luiz Carvalho seguem sendo repercutidas. Na noite desta quinta-feira, o Ministério Público, por meio da Promotoria do Torcedor, ingressou com uma medida cautelar solicitando a Justiça a suspensão das atividades da torcida organizada Geral do Grêmio, pela participação nos atos de violêncio e vandalismo da última quarta-feira.

No âmbito esportivo, a direção do Tricolor já havia suspendido a Geral e mais outras três torcidas organizadas. Ou seja, elas não podem utilizar seus materias em jogos e nem participar de ações junto ao time

Apesar da decisão citar somente a Geral do Grêmio, o MP-RS garante que se forem identificadas outras torcidas organizadas envolvidas no incidente, o órgão também irá ajuizar ação pedindo a suspensão das atividades. Na ação, do promotor de Justiça Thales Volcato, o MP pede que a torcida seja suspensa por pelo menos 90 dias, para que todos ou a maioria das pessoas envolvidas nos atos criminosos sejam identificados.

“Precisamos identificar os envolvidos para buscar a possível responsabilização criminal pelos atos ali praticados, que, em tese, configuram delitos previstos no Estatuto do Torcedor e, também, outros tipos penais”, disse o promotor. Volcato pediu celeridade ao 4ª Delegacia de Polícia da Capital, 11º Batalhão da Brigada Militar e Grêmio na identificação dos responsáveis. Até a noite desta quinta-feira, o Tricolor garante ter identificado 30 envolvidos. 


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895