Barcellos exalta estilo de jogo agressivo e de marcação ao anunciar Aguirre

Barcellos exalta estilo de jogo agressivo e de marcação ao anunciar Aguirre

Presidente explicou que saída de Ramírez partiu de análise sobre o tempo de evolução da equipe

Correio do Povo

Barcellos exalta estilo de jogo agressivo e de marcação ao anunciar Aguirre

publicidade

Após confirmar a chegada de Diego Aguirre como novo técnico e Paulo Paixão como coordenador da preparação física, o presidente do Inter, Alessandro Barcellos, concedeu entrevista coletiva e falou do treinador uruguaio, do retorno de Paixão ao Beira-Rio e do que levou os dirigentes a decidirem pela saída de Miguel Ángel Ramírez. 

"Fizemos uma proposta por um treinador que tem identidade com o clube, e que teve a sua passagem interrompida e agora volta para vencer. Foi vencedor aqui com o título gaúcho e semifinalista na Libertadores de 2015. O Aguirre vai nos ajudar a ser protagonista nas competições que ainda disputamos. É um treinador vertical, com ideia agressiva, que marca sob pressão. Um treinador que sempre busca a vitória", disse. 

Veja Também

Barcellos ainda recordou as vitórias do Inter no Beira-Rio sob o comando de Aguirre. "A gente não esquece os jogos memoráveis da Libertadores, em que o Beira-Rio pulsava, e as vitórias que tivemos dentro da nossa casa com um futebol que buscava a todo o tempo a vitória", afirmou. 

O mandatário colorado comentou que o retorno de Paixão para coordenar a preparação física servirá para conectar diversos setores do clube, inclusive da base com os profissionais. Ele explicou ainda que o profissional participará da coordenação técnica, o que já vem sendo feito por um grupo de pessoas. "Avaliamos a necessidade de ter também conosco uma pessoa vencedora pelo clube, que é o professor Paulo Paixão. Ele irá assumir a coordenação física e nos ajudará a conectar isso com a base e com os atletas que estão vindo", acrescentou. "O Paixão vai coordenar isso principalmente num ano atípico, em que não tivemos pré-temporada. Além disso, a simples presença dele no vestiário nos dará outros elementos que vão nos ajudar na caminhada", completou Barcellos. 

A escolha por Aguirre e a saída de Ramírez 

Alessandro Barcellos explicou que a escolha por Diego Aguirre ocorreu depois de uma semana de "trabalho duro" dentro e fora de campo. Ele ressaltou que o clube fez uma única proposta por apenas um profissional. 

"A nossa diretoria-executiva e a vice-presidência de futebol trabalharam para produzir uma tomada de decisão. Reunimos na última quinta os elementos para que chegássemos ao nome. Se erramos em algum momento, acho que erramos na comunicação. Não erramos por falta de trabalho. Agora, preciso falar que foi um absurdo o que ouvimos falar nesta semana, de ligações na madrugada, de outras coisas que não ocorreram. E não é sobre o Marco Silva (técnico português), mas sobre situações que tiram o foco, atrapalham e atrasam quem está cuidando do assunto", argumentou. 

Questionado sobre os motivos que levaram os dirigentes a definirem pela saída de Miguel Ramírez, Barcelos falou que a opção partiu de uma análise sobre o tempo adequado de evolução da equipe na temporada. "A mesma convicção que tivemos no encaixe, no perfil e no trabalho a ser desenvolvido, nós tivemos nesta revisão. A atuação no dia não tinha mais relação com aquilo que a gente entendia necessário para obter resultados no tempo que gostaríamos. Avaliamos que havia uma dificuldade em evoluir na velocidade que queríamos evoluir. Revisamos isso e estamos concluindo esta revisão com a chegada do Diego", completou.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895