capa

Nonato diz ter aprendido com expulsão no Gre-Nal e celebra evolução: "Só almejo coisas maiores"

Jogador defendeu que "futebol não tem tempo de baixar a cabeça e ficar se lamentando"

Por
Correio do Povo

Jogador marcou seu primeiro gol como profissional contra o Cruzeiro

publicidade

Nonato despontou como uma nova promessa no Inter no início da temporada. Aos 21 anos e em poucos meses, já viveu altos e baixos. Em março, foi expulso no primeiro tempo de seu primeiro Gre-Nal, prejudicando a equipe. Como um bom aprendiz, garante que levou “como aprendizado”, porque no “futebol não tem tempo de baixar a cabeça e ficar se lamentando. Só almejo coisas maiores e olhando para frente”, disse.

• Patrick retoma exercícios de corrida, mas deve continuar desfalcando o Inter

O jogador paulista ganhou nova chance contra o Cruzeiro no último final de semana e marcou um dos gols da vitória por 3 a 1. “Não posso achar que, porque fiz um gol, está tudo certo, assim como se eu perder um gol achar que está tudo errado. Fiquei feliz de ter feito e poder ajudar a equipe, mas a gente sabe que não pode se iludir com elogios nem se chatear com críticas”, defende.

No próximo domingo, contra o CSA, Nonato é cotado para, novamente, iniciar como titular no lugar de Patrick. “Me sinto bem de atuar ali. Me dá liberdade também de ir mais por dentro, que é até mais minha característica. Tenho a oportunidade de ter uma sequência de jogos e tentar me estabelecer com o Odair (Hellmann). Acredito que assim vou poder fazer o meu melhor e mostrar quem é o Nonato”, disse sobre a possibilidade de compor o tripé de volantes.

Peça fundamental deste estilo montado pelo técnico Odair Hellmann, Rodrigo Dourado segue fora do time por causa de uma lesão no joelho.  “Sabemos que o Rodrigo é essencial no grupo, nosso capitão. Quando ele não joga, o time sent. É um cara que marca muito e tem uma boa saída de jogo, fora de série. A gente perde, mas o nosso elenco é muito forte, tem peça para recompor”, disse. 

Libertadores em modo de espera

Nonato garantiu que a partida de ida das oitavas de final da Libertadores, contra o Nacional, no dia 23 de julho, não está nas conversas de vestiário no momento. “Não começamos a trabalhar em cima desse jogo, só após da Copa América. Nosso foco é total no Brasileiro e depois na Copa do Brasil. Vamos deixar para trabalhar a Libertadores em Atibaia”, disse, se referindo ao local onde o Colorado vai realizar uma espécie de pré-temporada durante a parada para o torneio de seleções. O torneio ocorre de 14 de junho a 7 de julho.

Durante este período, Nonato acredita que a equipe pode evoluir ainda mais  "No ano passado, nosso desempenho melhorou depois da parada para a Copa do Mundo. Então, acredito que vai ser bom para todos os clubes ter uma semana para ajustar as coisas”.

Neste ano, também ocorrem os Jogos Pan-Americanos, em Lima. Conforme o regulamento, atletas de até 23 anos podem disputar no futebol. Sobre a possibilidade de uma convocação, Nonato resumiu que “sonhar é de graça”. “Venho desempenhando o meu papel aqui e se eles estiverem acompanhando, fico feliz. Tudo é fruto de um trabalho que venho realizando aqui”, finalizou