capa

Jogadores da Seleção Brasileira são vacinados contra a caxumba em Porto Alegre

Atacante Richarlison contraiu a doença e deve ficar fora do restante da Copa América

Por
Correio do Povo

Jogadores da Seleção recebem vacina contra a caxumba

publicidade

A Secretaria Municipal da Saúde (SMS) e o Ministério da Saúde foram ao hotel em que a Seleção Brasileira estava hospedada, em Porto Alegre, na madrugada desta sexta, para vacinar os jogadores e demais integrantes da delegação contra caxumba. O atacante Richarlison contraiu a doença e deve ficar fora do restante da Copa América. Ao todo, 64 pessoas foram vacinadas. 

A imunização ocorreu após a vitória sobre o Paraguai pelas quartas de final da Copa América, na Arena do Grêmio, e foi realizada com a tríplice viral, que protege contra sarampo, rubéola e caxumba.  

Uma equipe de dez pessoas da SMS – servidores do Núcleo de Imunizações da Diretoria Geral de Vigilância em Saúde (DGVS) e do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) – participou da ação, que foi planejada no final da tarde dessa quinta.

Richarlison, por recomendação médica, permanece isolado dos demais membros da delegação. A decisão de vacinar a delegação no hotel foi tomada pela SMS em conjunto com a equipe médica da seleção e decorre da necessidade de viagem do grupo.

Funcionários do hotel onde a Seleção ficou hospedada foram orientados pela enfermeira-chefe do Núcleo de Imunizações da SMS, Renata Capponi, a procurar uma unidade de saúde para verificação da situação vacinal. “A tríplice viral está no calendário oficial. O SUS oferece a vacina a todas as pessoas até 49 anos, e o esquema vacinal depende da faixa etária. Por isso, é importante que as pessoas levem a carteira de vacinação a uma unidade de saúde para atualização do esquema de vacinas”, explicou.

Caxumba

 

A caxumba é uma infecção viral aguda e contagiosa. Ela pode atingir qualquer tecido glandular e nervoso do corpo humano, mas é mais comum afetar as glândulas parótidas, que produzem a saliva, ou as submandibulares e sublinguais, próximas ao ouvido. A caxumba é uma doença de distribuição universal, de alta morbidade e baixa letalidade, aparecendo sob a forma endêmica ou surtos.

É mais comum em crianças no período escolar e em adolescentes, mas também pode afetar adultos em qualquer idade. Normalmente, tem evolução benigna, mas em alguns raros casos pode apresentar complicações resultando em internações e até mesmo em morte. 

Como é transmitida?

A caxumba é causada por vírus da família Paramyxoviridae, gênero Paramyxovirus. A transmissão ocorre por via aérea, por meio da disseminação de gotículas, ou por contato direto com saliva de pessoas infectadas. Já a transmissão indireta é menos frequente, mas pode ocorrer pelo contato com objetos e/ou utensílios contaminados com secreção do nariz e/ou boca.

O período de incubação (até o aparecimento dos sintomas) é de 12 a 25 dias, sendo, em média, 16 a 18 dias. Já o período de transmissibilidade da doença varia entre 6 e 7 dias antes das manifestações clínicas, até 9 dias após o surgimento dos sintomas. O vírus da caxumba pode ser encontrado na urina até 14 dias após o início da doença.

Quais são os sintomas?

O principal e mais comum sintoma da caxumba é o aumento das glândulas salivares, acompanhado de febre. Cerca de 30% das infecções podem não apresentar aumento aparente dessas glândulas.

É comum que a infecção em homens adultos prove orquite (inflamação nos testículos) e mastite (infecção do tecido mamário) nas mulheres. Em um terço dos casos, a infecção não apresenta sintomas (assintomática) e adquire maior gravidade após adolescência, sendo a meningite e a epidídimoorquite duas importantes manifestações e complicações da doença, mas que geralmente não deixam sequelas.

Em menores de 5 anos de idade, são comuns sintomas das vias respiratórias e perda neurosensorial da audição. Outras complicações são encefalite e pancreatite. Não há relato de óbitos relacionados à parotidite. Além disso,  a ocorrência da caxumba durante o primeiro trimestre da gestação pode ocasionar aborto espontâneo.

Os principais sintomas da caxumba são:

- Inchaço e dor nas glândulas salivares, podendo ser em ambos os lados ou em apenas um deles.

- Febre.

- Dor de cabeça.

- Fadiga e fraqueza.

- Perda de apetite.

- Dor ao mastigar e engolir.

Como é feito o tratamento?

O tratamento da caxumba é baseado nos sintomas clínicos do paciente, com adequação da hidratação e alimentação. Além disso, a boa higiene bucal é fundamental.

Por ser uma infecção viral, a caxumba é tratada naturalmente pelo organismo. A indicação é apenas de repouso, medicamentos para dor e temperatura e observação cuidadosa para a possibilidade de aparecimento de complicações. Nos casos que cursam com meningite asséptica, o tratamento também é sintomático. Nas encefalites, a orientação é tratar o edema cerebral e manter as funções vitais.

A maioria dos casos da caxumba tem recuperação natural e progressiva, sem grandes complicações, em até duas semanas. O médico deve ser sempre consultado em caso de dúvidas ou surgimento de outros sintomas.

Com informações do Ministério da Saúde.