Caxias irá solicitar reconsideração do governo do RS sobre troca de bandeira

Caxias irá solicitar reconsideração do governo do RS sobre troca de bandeira

Cidade passou da coloração laranja para vermelha, o que significa mais restrições no combate à pandemia

Por
Celso Sgorla

Caxias irá solicitar reconsideração do governo do RS sobre troca de bandeira


publicidade

O sistema de Distanciamento Controlado, elaborado pelo governo do Rio Grande do Sul para conter a pandemia do novo coronavírus no Estado, modificou critérios de avaliação de regiões e nesse sábado alterou a coloração da bandeira de Caxias do Sul, na Serra, que passou de laranja para a vermelha. Diante do novo quadro, o prefeito da cidade, Flávio Cassina, convocou uma reunião com secretários e decidiu solicitar ao governador Eduardo Leite que reconsidere a troca de cores. 

Um ofício será encaminhado ao chefe do Executivo Estadual nesta segunda-feira questionando a alteração dos critérios sem aviso prévio aos municípios, o que causa insegurança na tomada das decisões na área da saúde pública que estão sendo implementadas; também será solicitado que o Estado avalie os municípios pela sua população, tamanho e esforço que cada um fez na área da saúde na pandemia, sugerindo, inclusive a subdivisão da Serra por regiões das Hortênsias, Campos da Serra e Uva e Vinho; será questionada a regulação de leitos em Caxias do Sul que é feita pelo próprio Estado, onde as UTIs são ocupadas por pacientes da região e quantos dos 190 leitos anunciados pelo governador serão destinados para Caxias do Sul.

Enquanto isso, a administração municipal de Caxias do Sul buscará promover uma reunião com os secretários da Saúde dos municípios que compõe a região da Uva e Vinho com a Coordenadoria Regional de Saúde; abrirá 10 novos leitos de UTI no Hospital Pompéia e um no Hospital do Círculo, além dos 15 leitos UTI/SUS abertos recentemente já mantidos pela Prefeitura de Caxias no  Hospital Geral (HG) e  no Virvi Ramos, e iniciará a testagem nas Unidades Básicas de Saúde e UPAs das pessoas acima de 50 anos.

Os equipamentos comprados pelas campanhas de entidades serão disponibilizados para a rede hospitalar. "Caxias do Sul fez e continua fazendo a sua parte. Montamos hospitais de campanha, aumentamos o número de leitos e pagamos por eles, temos apenas seis óbitos registrados por Covid-19 no município, então queremos que o Governador olhe por Caxias do Sul", informa Cassina.


Além disso, como sempre vem fazendo desde o início da pandemia em março, a administração chamará todas as entidades e sindicatos envolvidos. "Vamos aguardar a posição do governador, porque novamente atinge em cheio a nossa economia. Mas paralelo a isso a ideia é que realmente as pessoas tenham consciência da importância de ficar em casa e sair apenas para as atividades essenciais como supermercado e farmácia e de máscara que é obrigatório. Vamos reforçar a campanha #cuidedasuafamília, que apenas um vá às compras neste momento. Iremos também intensificar a fiscalização do transporte coletivo", reforça o vice-prefeito Edio Elói Frizzo. As restrições da bandeira vermelha passam a valer a partir desta segunda-feira, dia 15.