Ministério Público apura suposta fraude em vacinação contra coronavírus em Dom Pedrito

Ministério Público apura suposta fraude em vacinação contra coronavírus em Dom Pedrito

As fraudes teriam ocorrido em janeiro deste ano

Angélica Silveira

publicidade

O Ministério Público (MPRS) cumpriu nesta quinta-feira seis mandados de busca e apreensão em Dom Pedrito para apurar uma suposta fraude que teria sido realizada em uma Instituição de Longa Permanência para Idosos (ILPI) para viabilizar a vacinação antecipada de um grupo de pessoas contra o coronavírus. Foram apreendidos documentos, equipamentos de informática, celulares e medicamentos controlados sem a respectiva receita. Conforme os promotores de Justiça da cidade, Leonardo Giron e Diogo Gomes Taborda, a análise do material irá viabilizar o prosseguimento da apuração dos supostos fatos.

De acordo com representação recebida pelo MPRS, as fraudes teriam ocorrido em janeiro deste ano. Na ocasião, pessoas não teriam vínculo com a ILPI estariam sendo vacinadas como se possuíssem relação com a instituição.

A Prefeitura de Dom Pedrito informa que, em oportunidade anterior por solicitação do MP, já prestou todos os esclarecimentos com envio de documentos. Diz que o município segue, desde o início da vacinação, o Plano Nacional de Imunizações e todas as normas técnicas do Estado, conforme a disponibilidade de remessas de vacinas. A prefeitura afirma ainda que continua à disposição da justiça para eventuais esclarecimentos e reitera a transparência e lisura da equipe de vacinação. A reportagem tentou contato com a direção da ILPI, mas não obteve resposta.

Veja Também


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895