Bolsonaro não há de tecer mais nenhum comentário, diz porta-voz, sobre CPMF

Bolsonaro não há de tecer mais nenhum comentário, diz porta-voz, sobre CPMF

Otávio Rêgo Barros afirmou, no dia anterior, que "eventualmente" recriação da taxa poderia estar sendo analisada

AE

Otávio Rêgo Barros afirmou, no dia anterior, que "eventualmente" recriação da taxa poderia estar sendo analisada

publicidade

O presidente da República, Jair Bolsonaro, "não há de tecer mais nenhum comentário" em relação à Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF), afirmou, nesta terça-feira, o porta-voz da Presidência, Otávio Rêgo Barros. Na segunda-feira, Rêgo Barros disse que "eventualmente" a recriação da CPMF poderia estar sendo analisada pelo Ministério da Economia. O comentário foi feito pouco depois do próprio presidente Bolsonaro dizer que "todas as alternativas estão na mesa" sobre o tributo.

Nesta terça, ao ser questionado por jornalistas em coletiva, Rêgo Barros afirmou que a "a posição do senhor presidente é de que o Ministério da Economia faz as analises que possam ser de interesse da presidência e, por consequência, do nosso País". "Especialmente com relação à CPMF, ele (Bolsonaro) não há de tecer mais nenhum comentário", afirmou. 


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895