Dólar cai para R$ 4,78 e volta a se aproximar de mínima do ano

Dólar cai para R$ 4,78 e volta a se aproximar de mínima do ano

Bolsa não seguiu a tendência e teve pequena queda

Agência Brasil

Moeda segue em forte recuo no ano

publicidade

Em meio às expectativas sobre os juros no Brasil e no exterior, o dólar caiu abaixo de R$ 4,80 e voltou a se aproximar da mínima do ano nesta quarta-feira. O otimismo não se manifestou na bolsa de valores, que caiu pelo segundo dia seguido. O dólar comercial encerrou vendido a R$ 4,786, com queda de R$ 0,023 (-0,48%). A cotação iniciou o dia em leve alta, mas inverteu o movimento e passou a cair após a abertura do mercado norte-americano, até fechar próxima da mínima do dia.

Em queda após três dias seguidos de alta, a moeda norte-americana aproxima-se da menor cotação do ano, registrada em 26 de junho. Naquele dia, a divisa encerrou vendida a R$ 4,767. O dólar acumula queda de 0,08% no mês e recua 9,36% em 2023.

A euforia no mercado de câmbio não se repetiu no mercado de ações. O índice Ibovespa, da B3, fechou aos 117.552 pontos, com queda de 0,25%. O indicador chegou a cair 1% às 13h. Apesar de uma recuperação durante a tarde, a bolsa não conseguiu reverter a queda. O mercado foi influenciado tanto por fatores domésticos como externos. Mesmo com a possibilidade de o Banco Central (BC) reduzir a Taxa Selic (juros básicos da economia) na próxima reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), no início de agosto, os juros brasileiros permanecem altos e continuam a atrair capitais estrangeiros.

No exterior, a divulgação de índices de inflação menores que o esperado nos Estados Unidos e em outras economias avançadas reduzem a pressão para que os Bancos Centrais desses países elevem os juros. Na próxima semana, o Federal Reserve (Fed, Banco Central norte-americano) decide os juros da maior economia do planeta. O mercado aposta numa elevação de 0,25 ponto percentual, que seria a última do ciclo de alta que começou em 2022.

 


Se você é um empreendedor atingido pelas cheias, saiba como recomeçar

Sebrae RS apurou que 600 mil micro e pequenas empresas foram afetadas diretamente em todo o Estado

Mais Lidas





Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895