Teto dos benefícios do INSS pode chegar a R$ 6.351,20 em 2021

Teto dos benefícios do INSS pode chegar a R$ 6.351,20 em 2021

Ministério da Economia revisou estimativa para o INPC, que passou de 2,35% para 4,10%. Se confirmado novo indicador, segurados podem receber mais

R7

Reajuste pelo INPC vale para todos os benefícios pagos aos segurados do INSS

publicidade

Uma boa notícia para os trabalhadores que ganham o salário mínimo (R$ 1.045) e para os aposentados que recebem benefícios do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social).

Os valores dos pisos salariais podem sofrer um reajuste maior do que o previsto inicialmente no PLDO (Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias) em 2021 e o teto do benefício pode chegar a R$ 6.351, 20 de acordo com projeções realizadas a partir da nova estimativa do INPC.

O Ministério da Economia revisou a estimativa para o INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor) de 2020, que passou de 2,35% para 4,10%.

O indicador é usado para reajustar o valor do salário mínimo e dos benefícios pagos pelo INSS. Se a elevação for confirmada, o piso salarial passará de R$ 1.045 para R$ 1.087,85 em 2021.


No PLDO – projeto que serve de base para o governo elaborar a proposta orçamentária para o próximo ano – enviado em abril, a projeção inicial do salário mínimo era de R$ 1.079.
A pedido do R7 Economize, o advogado Giovanni Magalhães, especialista em cálculos previdenciários da ABL Calc, fez uma projeção de como ficariam os benefícios do INSS – do piso ao teto – com o INPC a 4,10%.
O INPC também influencia o reajuste de outros benefícios do INSS, sejam eles assistenciais ou previdenciários. Entre eles, estão o BPC (Benefício de Prestação Continuada), auxílio doença, auxílio acidente, aposentadoria por invalidez.
 


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895