Justiça mantém suspenso retorno das aulas presenciais no Rio Grande do Sul

Justiça mantém suspenso retorno das aulas presenciais no Rio Grande do Sul

Juíza Cristina Luísa Marques da Silva negou o pedido de revogação da liminar feito pelo Sinepe/RS

Everton Calbar / Rádio Guaíba

Justiça mantém suspenso retorno das aulas presencias no Estado

publicidade

A Justiça negou o pedido de revogação da liminar que suspendia o retorno das aulas presenciais na Educação Infantil e 1º e 2º anos do Ensino Fundamental no Rio Grande do Sul. A solicitação foi realizada pelo Sindicato do Ensino Privado do Rio Grande do Sul (Sinepe/RS). 

O recurso acabou sendo negado pela juíza Cristina Luísa Marques da Silva, da 1ª Vara da Fazenda Pública do Foro Central da Comarca de Porto Alegre, na noite desta terça-feira.

Entre os argumentos apresentados pelo Sinepe/RS para a liberação das aulas, está um documento do Núcleo de Pediatria do Sindicato dos Médicos do Rio Grande do Sul (Simers), que afirma que as instituições de ensino são locais de baixo risco de exposição à Covid-19, além de que os prejuízos aos estudantes por estarem fora da escola se sobrepõem a um eventual risco com relação ao vírus, considerado mínimo no ambiente escolar.

Em nota, o presidente da entidade, Bruno Eizerik, lamentou a decisão, mas acredita que o processo possa ser revertido, já que a juíza deu prazo de cinco dias para ouvir a Associação de Mães e Pais pela Democracia, que foi quem moveu a ação pela suspensão das aulas, e o Ministério Público. 

 


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895