Prefeitura inicia discussão sobre retomada das atividades educacionais em Porto Alegre

Prefeitura inicia discussão sobre retomada das atividades educacionais em Porto Alegre

Executivo irá elaborar um plano de retomada para discutir junto a entidades do setor de ensino

Por
Felipe Samuel

Executivo irá elaborar um plano de retomada para discutir junto a entidades do setor de ensino


publicidade

Em mais uma reunião com entidades empresariais, o prefeito Nelson Marchezan Júnior afirmou nesta quarta-feira que um comitê especial, com integrantes do Executivo, vai começar a discutir a partir de sexta-feira protocolo para a retomada do ensino infantil do setor privado na Capital. A ideia é elaborar um modelo para diferentes situações e colocar para debate junto a entidades do setor de ensino, que poderão oferecer sugestões em cima do planejamento inicial. Representantes de entidades comerciais também pediram que o prefeito avalie a possibilidade de ampliar o horário e os dias de funcionamento de lojas e restaurantes, além de considerar a reabertura das salas de cinemas.

Durante videoconferência, o prefeito destacou que as internações em leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTI), por conta do novo coronavírus, estão estabilizadas. Mesmo reconhecendo que a ocupação dos leitos se mantém estável em nível elevado, Marchezan garantiu que, por conta das medidas adotadas pela Secretaria da Saúde, o cenário atual permite discutir a retomada das aulas e a realização de eventos testes, como uma feira de negócios programada para esta sexta-feira, no Centro de Eventos da Fiergs, e um show no Auditório do Araújo Vianna, no domingo. Ambos eventos com restrição de público.

Ao destacar a necessidade de avançar a discussão sobre a volta às aulas, o prefeito ressaltou que as atividades estão suspensas desde o início da pandemia da Covid-19 e envolve alunos, profissionais de ensino, entre outros. "Setor de ensino movimenta 400 mil portoalegrenses e, junto com o setor de eventos, está com as atividades suspensas. Esses setores para nós têm certa prioridade de análise", reforçou, acrescentando que o objetivo é iniciar debate com setor de ensino junto a entidades conveniadas. De acordo com Marchezan, as demandas apresentadas serão analisadas na sexta-feira em reunião do Comitê de Enfrentamento ao Coronavírus.

Conforme Marchezan, outro setor que deve retornar as atividades é o ensino profissionalizante por meio da Educação de Jovens e Adultos (EJA), uma vez que as pessoas "adultas e mais maduras" podem seguir protocolos de maneira adequada. "Estamos pensando em avançar em algumas semanas em algumas áreas. Acreditamos que não deverá mais retroceder. Óbvio que pode ser que o tempo comece a ficar muito bom, com mais horas de sol por dia, com pessoas saindo mais, e relaxando mais nos seus protocolos. Mas se tivermos todos essa união vamos continuar avançando nas atividades econômicas", ressaltou.


Em meio à reunião, houve espaço para reclamações do Sindicato de Hospedagem e Alimentação de POA e Região (Sindha). O presidente da entidade, Henry Chmelnitsky, criticou a atuação de fiscais da prefeitura em restaurantes no fim de semana, que teriam cometido excessos e notificado proprietário de um restaurante pouco antes das 22h. Chmelnitsky relatou que ação dos fiscais 'prejudica e gera muita insegurança' junto aos clientes. "Entendemos que a fiscalização é boa, mas não quando existe abuso de poder", afirmou. O secretário de Desenvolvimento Econômico, Leonadro Hoff, rechaçou as acusações.