Secretário diz que segundo contingenciamento ficará bem abaixo do primeiro
capa

Secretário diz que segundo contingenciamento ficará bem abaixo do primeiro

Equipe econômica trabalha hoje com um corte de pouco mais de R$ 5 bilhões

Por
AE

Secretário da Fazenda do Ministério da Economia, Waldery Rodrigues Júnior, afirmou que o segundo contingenciamento deverá ficar bem abaixo do primeiro

publicidade

O secretário da Fazenda do Ministério da Economia, Waldery Rodrigues Júnior, afirmou que o segundo contingenciamento no Orçamento federal deverá ficar bem abaixo do primeiro, que foi de cerca de R$ 30 bilhões.

"O valor do contingenciamento é diretamente associado à revisão paramétrica da taxa de crescimento do PIB. As receitas respondem ao crescimento do PIB, se vem para baixo as receitas também caem", afirmou ele a jornalistas durante audiência da Comissão Mista de Orçamento (CMO), nesta tarde de terça-feira.

O contingenciamento será feito, de acordo com o secretário, de maneira precavida, com transparência e conservadorismo. "Os valores serão abaixo da magnitude de contingenciamento anunciado em março. Bem abaixo", acrescentou, sem dar um número exato. A equipe econômica trabalha hoje com um corte de pouco mais de R$ 5 bilhões, mas o número ainda não está fechado e o governo busca alternativas de receitas e despesas antes de definir o contingenciamento.

Sobre a revisão da projeção para o Produto Interno Bruto, que será oficialmente divulgada no dia 22 de maio, ele informou que o governo conversa com os agentes de mercado que fazem as previsões e as parametrizações "são muito próximas".

"O que nós temos efetivamente é a revisão do PIB que será anunciada e que aponta para número abaixo de 2%", explicou Rodrigues Júnior. O secretário disse ainda que o governo estuda medidas para reduzir o gasto tributário ainda neste ano, mas que poucas coisas podem ser feitas por decreto. "Depende do Congresso Nacional", afirmou.