BioNTech afirma que vacina anticovid não precisa de modificações para novas variantes

BioNTech afirma que vacina anticovid não precisa de modificações para novas variantes

Farmacêutica alemã desenvolveu imunizante em parceria com a Pfizer

AFP

BioNTech afirma que vacina anticovid não precisa de modificações para novas variantes

publicidade

A farmacêutica alemã BioNTech anunciou nesta segunda-feira (10) que não existe evidência de que sua vacina contra a Covid-19, desenvolvida em conjunto com a Pfizer, precise de modificações para ter eficácia contra as outras variantes do vírus.

Veja Também

"Até o momento não há evidência de que seja necessária uma adaptação da atual vacina anticovid da BioNTech contra as variantes identificadas", afirmou a empresa em um comunicado.

Apesar disso, a BioNTech desenvolveu uma estratégia para lidar com as variantes, caso haja necessidade no futuro. A empresa apresentou à FDA (Food and Drug Administration) dos EUA, uma emenda adicional ao estudo do ensaio global das fases 1,2 e 3 que inclui uma avaliação do impacto de uma terceira dose e uma avaliação de modificação da vacina.

"O objetivo deste estudo é explorar o caminho regulatório que a BioNTech e a Pfizer seguiriam se o SARS-CoV-2 mudasse o suficiente para exigir uma vacina atualizada. Este teste começou em março de 2021", explicou.

A vacina da Pfizer oferece mais de 95% de proteção contra infecção, internação e morte pela covid-19, de acordo com um estudo publicado na quinta-feira (6) na revista Lancet. A pesquisa foi feita com base em dados da campanha de vacinação de Israel, que usou apenas o imunizante da farmacêutica norte-americana.

A BioNTech ressaltou ainda no comunicado desta segunda-feira (10) que vários ensaios clínicos estão em andamento como testes em crianças de 6 meses a 11 anos e coleta de mais dados em mulheres grávidas saudáveis.

A BioNTech revelou que também está trabalhando para aprimorar a conservação das vacinas em ambientes menos frios. Atualmente, as vacinas devem ser armazenadas a -20°C em freezers farmacêuticos por até duas semanas.

Cerca de 450 milhões de doses da vacina da Pizer já foram distribuídas para 91 países. A União Europeia assinou contrato para a compra de 1,8 bilhão de doses para entrega ainda este ano. A previsão é que a empresa produza 3 bilhões de doses até o final deste ano e mais 3 bilhões em 2022.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895