Decreto de Porto Alegre com medidas mais rígidas é alvo de críticas da Federasul

Decreto de Porto Alegre com medidas mais rígidas é alvo de críticas da Federasul

Medida determina fechamento por 15 dias de salões de beleza, academia, entre outros estabelecimentos

Felipe Samuel

Prefeitura fiscaliza supermercados de médio e grande portes para orientar sobre o decreto 20.639

publicidade

O decreto da prefeitura de Porto Alegre que entrou em vigor nessa terça-feira e tornou mais rígidas as regras de distanciamento social - com fechamento por 15 dias de salões de beleza, academias e Mercado Público, entre outros estabelecimentos - é alvo de críticas da Federação de Entidades Empresariais do Rio Grande do Sul (Federasul). 

Insatisfeita com o que considera concorrência desleal com as grandes redes de supermercados, que mantêm funcionamento restrito em meio à pandemia do novo coronavírus, a presidente da entidade, Simone Leite, afirmou nesta quarta-feira que a decisão de fechar o comércio provoca prejuízo financeiro aos proprietários e diminui a arrecadação de impostos do município.

A dirigente garante que os empresários seguem rigorosamente os protocolos sanitários determinados pelas autoridades de saúde e não precisariam parar as atividades.

Conforme Simone, a população está adquirindo produtos típicos do comércio em grandes redes de supermercados, o que pode agravar a situação financeira do setor. "Defendemos que mesmo em bandeira vermelha tenhamos a possibilidade de exercer a atividade com restrições nas lojas", frisa.

De acordo com a Federasul, a ideia é permitir que o comércio funcione aos moldes dessas redes. "Não queremos fechar supermercados, mas a concorrência deveria permitir que o setor produtivo pudesse trabalhar", justifica.

Para garantir a segurança dos consumidores, a entidade sugere a realização de testes em massa nos funcionários. Simone destaca que atualmente a testagem é feita apenas em indivíduos com algum sintoma. "Não só a testagem, mas é preciso fazer rastreamento das pessoas que apresentam vírus. No local onde for identificada uma pessoa com o vírus, seria preciso testar familiares e as pessoas que tiveram contato com ela. Além disso, é necessário isolar as contaminadas", esclarece.

Prefeitura fiscaliza supermercados

Agentes do Escritório de Fiscalização percorreram dezenas de supermercados de médio e grande portes de Porto Alegre para orientar sobre o decreto 20.639, que regulamenta novas regras para os estabelecimentos como prevenção ao coronavírus.

Os fiscais verificaram o cumprimento das normas de controle do fluxo de pessoas para evitar aglomerações, ocupação máxima de 50% da capacidade dos locais, monitoramento de filas e distância de dois metros entre os clientes. Foram vistoriadas também as determinações de proteção individual, higienização e ingresso de apenas um cliente por família sempre que possível.

“Nossas equipes estão diariamente nas ruas para fiscalizar as medidas de prevenção e combate à Covid-19. Precisamos do apoio dos empreendedores e, sobretudo, da população, para que compreendam e, se puderem, fiquem em casa, saindo somente quando realmente necessário”, explica o prefeito Nelson Marchezan Júnior.

As normas, que entraram em vigor na terça-feira, são para garantir a segurança dos funcionários dos estabelecimentos e da população. “Seguimos orientando e pedindo compromisso para o controle de público, para que apenas um cliente por família entre no local e para evitar a superlotação dos espaços, além da responsabilidade com as devidas medidas de higiene”, afirma o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Leonardo Hoff. 


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895