Marcada por imprudências, EPTC descarta proibir procissão dos motociclistas
capa

Marcada por imprudências, EPTC descarta proibir procissão dos motociclistas

Cerca de 900 autuações foram registradas na edição do ano passado

Por
Correio do Povo

Flagrantes de imprudência foram registrados neste sábado

publicidade

Flagrantes de imprudência como presença de motociclistas circulando sem capacete e empinando motos foram mais uma vez evidentes na 45ª edição da procissão da categoria em Porto Alegre deste sábado.

A Empresa Pública de Transportes e Circulação (EPTC) não tem ainda o número de autuações da romaria de Nossa Senhora Aparecida de hoje, no entanto, foram 900 registros no ano passado. O relatório da edição de 2019 sairá somente na próxima semana. 

Apesar das reclamações relativas aos casos de imprudência - nem a rampa da Receita Estadual, no centro da cidade, escapou - a EPTC descarta qualquer proibição à romaria. “Não há nenhuma possibilidade de não autorizarmos a procissão dos motociclistas em Porto Alegre no próximo ano, até porque não houve ocorrências graves na procissão desse sábado", relata Luciano Souto, Gerente de Fiscalização e Transportes. 

Souto acrescenta que a EPTC procura reforçar cada vez mais a orientação aos motociclistas para manter a segurança dos usuários no trânsito de Porto Alegre durante a procissão. "Estamos focados também em monitorar os desvios ao longo do percurso".

O tradicional evento desse feriado reuniu cerca de 25 mil motoqueiros na Capital. Com saída da Rótula das Cuias, o encerramento ocorreu no Porto Seco.

*Com informações de Fernanda Bagatini