Porto Alegre tem 92,97% da rede de UTIs ocupada nesta sexta-feira

Porto Alegre tem 92,97% da rede de UTIs ocupada nesta sexta-feira

Cinco hospitais estão sem leitos para atender casos graves na Capital

Felipe Samuel

Cinco hospitais estão sem leitos para atender casos graves na Capital

publicidade

O sistema de saúde de Porto Alegre segue pressionado pelo crescimento das internações leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTI). Com 741 pacientes em estado grave, a taxa geral de ocupação de UTIs registrou 92,97% nesta sexta-feira. Até o início da noite, 324 pacientes com diagnóstico confirmado para a doença estavam em estado grave, o que representava aumento em relação à véspera, quando 319 pacientes que testaram positivo para a doença ocupavam leitos de UTI. Outras 27 pessoas com teste positivo para a doença aguardavam em emergências por internação em UTI. Por conta disso, alguns hospitais anunciaram restrições no atendimento.

O total de internações relacionadas à Covid-19, que envolve casos confirmados e suspeitos, chegou a 363, uma queda em comparação ao dia anterior, quando 371 leitos estavam ocupados por pacientes Covid-19. Dos 17 hospitais monitorados pela SMS, cinco estavam sem leitos disponíveis para casos graves: Cardiologia, Moinhos de Vento, São Lucas, Mãe de Deus e Restinga. Outros 11 hospitais operavam com lotação superior a 80%. Clínicas (88), Santa Casa de Misericórdia (46), Nossa Senhora da Conceição (39) e Moinhos de Vento (38) contabilizavam mais da metade do total de internações relacionadas à Covid-19, com 211 pacientes (entre casos suspeitos e confirmados).

De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde (SES), até o começo da noite, o Rio Grande do Sul registrava o maior número de pessoas internadas em UTI com diagnóstico positivo para a doença desde início da pandemia, com 1.032 pacientes em estado grave. Outros 160 tinham diagnóstico suspeito da doença. Ao todo, envolvendo internações por todas as doenças, 2.171 leitos de UTI estavam ocupados.  

Veja Também

O Grupo Hospitalar Conceição (GHC) anunciou hoje novas medidas em decorrência do aumento da demanda de pacientes com o novo coronavírus. Entre as medidas divulgadas pela instituição após reunião do gabinete de Gerenciamento de Crise do GHC estão a ampliação do número de leitos de enfermaria destinados a pacientes Covid-19, que vão passar de 80 para 108 até a próxima semana, e a suspensão por 15 dias, a partir da próxima segunda-feira, das cirurgias eletivas no Hospital Nossa Senhora da Conceição.

A direção do GHC confirmou a ampliação da capacidade de leitos da chamada "sala vermelha" - de emergência - para Covid-19, passando de 6 para 12. O diretor-presidente do GHC, Cláudio Oliveira, garantiu ainda que instituição vai manter 10 leitos de UTI de retaguarda no Hospital Cristo Redentor, que vai servir de suporte ao Hospital Conceição. "É uma UTI não Covid-19 para suporte ao Conceição, que é referência para tratamento da Covid-19 no Estado", destacou. "Estamos atentos e monitorando constantemente o aumento expressivo do número de casos de Covid-19 no nosso Estado", completou.

O aumento das internações por conta do novo coronavírus também refletiu nos serviços do Hospital Divina Providência, que comunicou ontem restrição dos atendimentos na Emergência Adulto por tempo indeterminado. Conforme a instituição, os casos graves de sintomas respiratórios relacionados à Covid-19 seguirão sendo atendidos, bem como aqueles relacionados a outras patologias.

Em nota, o diretor médico do Divina Providência, Willian Dalprá, informa que em relação aos procedimentos eletivos, "está em curso o gerenciamento entre equipes médicas e pacientes, a fim de se estabelecer a realização dos procedimentos que, se adiados, podem implicar em desfechos clínicos desfavoráveis". Os demais, serão reagendados. Desde quinta-feira, o hospital disponibilizou mais 25 leitos de Enfermaria Covid. Outros 9 foram acrescentados na Unidade de Internação. Até domingo, o hospital passará a contar com mais 4 leitos de UTI Covid, passando para 20 leitos nas duas Unidades de Tratamento Intensivo (UTI).

Com agravamento da pandemia em Porto Alegre, alguns hospitais já estão em busca de profissionais de saúde. Em função do aumento das internações na última semana, o Hospital Moinhos de Vento informou a abertura de 60 vagas para contratação de profissionais da área de enfermagem. O hospital seleciona técnicos e enfermeiros para atendimento de pacientes na Emergência, no Centro de Terapia Intensiva e nas unidades de internação. Os profissionais precisam ter disponibilidade para início imediato das atividades.

Os pré-requisitos são graduação em Enfermagem e formação completa no curso técnico, respectivamente, e registro ativo no Conselho Regional de Enfermagem (COREN-RS).  Entre os benefícios disponibilizados pela instituição, os colaboradores contratados têm acesso a plano de saúde, plano odontológico, creche e refeitório no local e seguro de vida. Informações sobre essa e outras oportunidades estão disponíveis na plataforma virtual de RH do Hospital Moinhos.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895