"Seguimos trabalhando com muito esforço e com muita técnica", diz Ranolfo

"Seguimos trabalhando com muito esforço e com muita técnica", diz Ranolfo

Buscas por bombeiros desaparecidos contam com trabalhos de cerca de 50 agentes por turno

Eduardo Andrejew

Incêndio no prédio da Secretaria de Segurança Pública ocorreu na última quarta-feira

publicidade

O vice-governador e secretário de Segurança Pública, delegado Ranolfo Vieira Júnior, acompanhou, na manhã desta segunda-feira, de perto as buscas dos bombeiros Lúcio Ubirajara de Freitas Munhós e Deroci de Almeida da Costa, desaparecidos durante o combate ao incêndio do edifício que abrigava a Secretaria de Segurança Pública (SSP), ocorrido na quarta-feira, dia 14. "Já são mais de 100 horas de trabalho ininterrupto para resfriar a área, retirar escombros e localizar os bombeiros. Estive no local agora pela manhã”, destacou o vice-governador em sua conta no Twitter. 

Em um vídeo divulgado, ele ainda destacou o apoio da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, da Unisinos, do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Estado do Rio Grande do Sul (CREA-RS), além de vários entes privados. “Seguimos trabalhando com muito esforço e com muita técnica”, concluiu. No mesmo vídeo, o tenente-coronel Eduardo Estevam Rodrigues, comandante do 1° BBM de Porto Alegre, disse que mesmo com o vendaval, o Corpo Militar de Bombeiros seguiu no trabalho de resgate e que mais três equipes foram agregadas aos trabalhos “dentro da edificação, metro a metro avançando para que cuidadosamente possamos recuperar os nossos bombeiros”. 

Segundo informações da assessoria de imprensa da SSP, trabalham por turno, cerca de 50 pessoas no local do incêndio. Entre eles, estão militares do Corpo de Bombeiros Militar (CBMRS), servidores da Defesa Civil Estadual e operadores de maquinários. São 13 viaturas empregadas, incluindo caminhões de combate, resgate e máquinas para remoção de estruturas.

E há equipe técnica e tática, com cerca de 20 servidores e voluntários na área de apoio (alimentação, Cruz Vermelha, organização dos turnos, entre outros). Desde a sexta-feira, 20 profissionais de engenharia atuam em apoio ao CBMRS para avaliar os riscos da área. 

Durante a manhã de segunda-feira, enquanto equipes de resgate seguiam na busca dos desaparecidos no incêndio, permanecia o isolamento para carros na Avenida Voluntários da Pátria. Também foi mantido bloqueio parcial na Avenida Castelo Branco. O acesso à imprensa segue restrito. O pátio do edifício só era liberado para entrada de quem atua nas buscas. Mesmo dias após o incêndio, o cheiro de fumaça persiste nos arredores. 

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895