Servidores do Judiciário gaúcho decidem manter greve
capa

Servidores do Judiciário gaúcho decidem manter greve

Paralisação da categoria já dura 40 dias

Por
Rádio Guaíba

Servidores do Judiciário gaúcho decidiram continuar em greve

publicidade

Em uma assembleia na tarde desta sexta-feira, em Porto Alegre, servidores do Judiciário gaúcho decidiram manter a paralisação da categoria, que já dura 40 dias. Cerca de mil trabalhadores, entre oficiais de justiça, escreventes e assistentes sociais, participaram do encontro, no salão da Igreja Nossa Senhora da Pompéia.

A paralisação prossegue mesmo a derrubada, pela Assembleia Legislativa, do projeto de lei 93/17, que previa extinguir o cargo de escrevente, criando no lugar o de técnico judiciário. A pressão da categoria levou a uma derrota histórica do Judiciário em plenário. Foram 44 votos contra e dois a favor. Os servidores só voltarão a se encontrar, agora, em 14 de agosto, dia em que categorias do Executivo farão um ato unificado contra as alterações de carreira e das regras estaduais de aposentadoria.

Entre as demais pautas, os servidores exigem a criação de um plano de carreira e reajuste salarial. A Associação dos Servidores da Justiça (ASJ), o Sindicato dos Servidores da Justiça (Sindjus) e a Associação dos Oficiais de Justiça (Abojeris) organizaram a plenária desta sexta.