Anistia revisa para 304 o número de mortos em protestos no Irã
capa

Anistia revisa para 304 o número de mortos em protestos no Irã

Manifestações no país começaram em 15 de novembro, e motivo foi alta do combustível em meio a crise

Por
AFP

ONG acusou Irã de violência contra manifestantes

publicidade

Pelo menos 304 pessoas perderam a vida no Irã na repressão aos protestos que abalaram o país entre 15 e 18 de novembro, de acordo com um novo balanço publicado nesta segunda-feira pela Anistia Internacional.

"As autoridades iranianas continuam com sua repressão após as manifestações em todo o país que começaram em 15 de novembro, prendendo milhares de manifestantes, jornalistas, defensores de direitos humanos e estudantes para impedir que digam o que pensam dessa repressão implacável", acusou a ONG de defesa dos direitos humanos em uma declaração.

A Anistia diz que revisou o último balanço publicado em 2 de dezembro (208 mortos). A ONG aponta ainda que tem testemunhos que sugerem que as "autoridades iranianas, quase imediatamente após o massacre de centenas de pessoas (...) lançaram uma repressão em larga escala para estabelecer o medo de falar abertamente do que aconteceu".

Os protestos começaram após o anúncio do aumento do preço do combustível, em meio a uma crise econômica, e se espalharam por centenas de cidades.