Duas pessoas morrem baleadas em manifestação contra racismo nos EUA

Duas pessoas morrem baleadas em manifestação contra racismo nos EUA

Tiroteio aconteceu durante a terceira noite consecutiva de protestos após a divulgação de um vídeo que mostra um homem negro sendo baleado sete vezes à queima-roupa por um policial branco

AFP

Durante os protestos também foram registrados confrontos entre a polícia e os manifestantes

publicidade

Duas pessoas foram mortas a tiros, na terça-feira à noite, na cidade americana de Kenosha – no Estado de Wisconsin, norte dos Estados Unidos – em meio a confrontos durante protestos antirracistas que eclodiram depois que o afro-americano Jacob Blake foi baleado por um policial branco. "O tiroteio resultou em duas mortes, e uma terceira vítima baleada, que foi levada ao hospital com ferimentos graves, mas não fatais", anunciou o Departamento de Polícia da cidade em um tuíte.

Imagens divulgadas nas redes sociais mostram pessoas correndo pelas ruas de Kenosha quando tiros são ouvidos. Outros vídeos mostram um homem caído em uma calçada. O tiroteio aconteceu durante a terceira noite consecutiva de protestos após a divulgação de um vídeo que mostra o Blake sendo baleado sete vezes à queima-roupa por um policial no domingo.

As imagens gravadas com smartphones mostram o homem, de 29 anos, perseguido por dois policiais quando pretendia entrar em seu carro, onde estavam seus três filhos. A ação policial recordou a morte de George Floyd em maio. Ao menos um pequeno grupo de homens brancos fortemente armados estava na cidade na noite de terça-feira. Eles afirmaram que pretendiam protegar as propriedades.

O New York Times informou que a polícia investiga se os tiroteios de terça-feira à noite foram motivados por "um conflito entre uma milícia que vigiava um posto de gasolina e manifestantes". Vários civis armados estavam nas ruas de Kenosha na terça-feira, enquanto uma reduzida presença policial foi observada perto do tribunal de justiça.

Durante os protestos também foram registrados confrontos entre a polícia e os manifestantes, que lançaram fogos de artifício contra as forças de segurança, que responderam com balas de borracha.

 

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895