Faixa "White Lives Matter" é duramente criticada na Inglaterra

Faixa "White Lives Matter" é duramente criticada na Inglaterra

Frase é muito utilizada por supremacistas brancos para invalidar o debate antirracista

Por
AFP

Frase surgiu sendo carregada por avião durante partida de futebol


publicidade

A faixa "White Lives Matter" (As vidas dos brancos importam), exibida na segunda-feira por um avião que sobrevoava a partida da Premier League entre Manchester City e Burnley (5 a 0), foi muito criticada nesta terça-feira na Inglaterra. A associação antirracista Kick It Out recordou que o movimento "Black Lives Matter" (As vidas dos negros importam) pede apenas a igualdade de direitos.

O avião com a faixa "White Lives Matter Burnley" apareceu pouco depois que todos os jogadores da partida se ajoelharam no gramado para prestar homenagem ao "Black Lives Matter", que luta contra o racismo e a violência policial. Um gesto que se repetiu em todas as partidas desde a retomada da Premier League em 17 de junho.

"O objetivo do Black Lives Matter não é diminuir a importância da vida das outras pessoas", destaca Sanjay Bhandari, presidente da Kick It Out, que luta contra as discriminações no futebol inglês. "Trata-se de denunciar que as pessoas negras são privadas de alguns direitos humanos apenas por sua cor da pele. É questão de igualdade", completou.

"Fizemos todas as verificações para estabelecer as circunstâncias detalhadas sobre o incidente", afirmou a polícia de Lancashire em um comunicado. "Entendemos que esta faixa ofendeu muitas pessoas", disse  Russ Procter, chefe de polícia regional, citado no comunicado, mas a força de segurança ainda precisa determinar se o ato constitui um delito.

"Em si mesmas, as palavras ("White Lives Matter") não são ofensivas, é apenas o contexto. Elas mostram uma rejeição ao debate em curso", disse Iffy Onuora, diretor de questões de igualdade da 'Professional Footballers Association', o sindicato dos jogadores.

"White Lives Matter" é um slogan criado por meios supremacistas brancos nos Estados Unidos em reação ao movimento Black Lives Matter e que é frequentemente utilizado pela extrema direita europeia."Não sabemos quem está por trás disso", admitiu Piara Powar, diretor executivo da Football Against Racism in Europe (Fare), ONG que luta contra o racismo.

"Mas, ao contrário da mensagem do BLM, 'White Lives Matter' só pode estar motivada pelo racismo e a rejeição da igualdade de direitos", afirmou.


O Burnley condenou imediatamente a faixa. "O clube se orgulha do trabalho realizado por meio de programas comunitários reconhecidos em colaboração com todos os gêneros, todas as religiões ou todas crenças, e se opõe a qualquer forma de racismo", afirma um comunicado, no qual promete proibir a entrada em seu estádio, Turf Moore, dos responsáveis pela ação.