Reino Unido e UE se reúnem para buscar acordo sobre a Irlanda do Norte

Reino Unido e UE se reúnem para buscar acordo sobre a Irlanda do Norte

Protocolo comercial da região é um dos principais impasses pós-Brexit

AFP

publicidade

O primeiro-ministro britânico, Rishi Sunak, se reúne nesta segunda-feira com a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, para estabelecer as "discussões finais" entre o Reino Unido e a UE sobre o protocolo para a Irlanda do Norte pós-Brexit. É muito provável que os dois lados alcancem um acordo sobre o tema tão delicado, fonte de bloqueio das instituições da província britânica, mas também de agitação entre a maioria conservadora do governo em Londres.

Von der Leyen e Sunak se reunirão para abordar "soluções práticas aos vários e complexos desafios" apresentados pelo protocolo norte-irlandês, informou Downing Street no domingo. Os dois devem conceder uma entrevista coletiva conjunta em Windsor, cidade ao oeste de Londres onde fica uma das residências do rei Charles III. Não foi confirmada uma reunião de ambos com o monarca.

O protocolo para a Irlanda do Norte, assinado em janeiro de 2020, é o principal ponto de divergência entre Londres e Bruxelas três anos após a saída do Reino Unido da União Europeia (UE). O texto regulamenta o trânsito de produtos entre o restante do Reino Unido e a Irlanda do Norte, a única fronteira terrestre da nação com a UE.

O protocolo pretendia evitar a existência de uma fronteira terrestre entre Irlanda e Irlanda do Norte, algo que prejudicaria o acordo de paz assinado em 1998, após três décadas de violência, ao mesmo tempo que protegia o mercado único europeu. Porém, a medida apresenta problemas práticos ao impor controles alfandegários às mercadorias procedentes da Grã-Bretanha que chegam à Irlanda do Norte, mesmo quando estas permanecem na província britânica.

Tensões

O protocolo gerou tensões entre a UE e o Reino Unido, mas também se tornou um problema interno para Rishi Sunak, que enfrenta a oposição de defensores ferrenhos do Brexit e dos unionistas do "Democratic Unionist Party" (DUP), que rejeitam qualquer questionamento à presença da Irlanda do Norte no Reino Unido.

Estes últimos rejeitam qualquer aplicação de fato da legislação europeia na província britânica e bloqueiam há um ano o funcionamento do Executivo local. Para apaziguar os unionistas, Londres ameaçou no ano passado uma retirada unilateral do acordo, o que provocou a revolta da Irlanda e da UE, que mencionaram uma possível guerra comercial. Sunak deve ter uma reunião com os principais ministros de seu gabinete antes da entrevista coletiva com Von der Leyen. Em seguida, o primeiro-ministro retornará a Londres para discursar aos deputados na Câmara dos Comuns.


Mais Lidas

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895