Se eleito, Biden suspenderá negócios da família no exterior

Se eleito, Biden suspenderá negócios da família no exterior

Pré-candidato democrata defendeu trabalho do filho em caso ucraniano

Por
AFP

Família é centro de polêmica que pode desencadear impeachment de Trump


publicidade

O pré-candidato democrata na eleição de 2020 Joe Biden afirmou que os integrantes de sua família não participarão em nenhum negócio no exterior se chegar à Casa Branca, ao mesmo tempo que considerou problemáticas as atividades dos filhos do presidente Donald Trump.

O ex-vice-presidente defendeu o trabalho de seu filho Hunter no conselho de uma empresa de gás ucraniana, atividade que se tornou o centro da investigação que visa um julgamento político de Trump. "Não participarão em nenhum negócio no exterior por causa do que aconteceu nesta administração", disse Biden ao programa "Axios on HBO", exibido no domingo no canal a cabo."Ninguém vai procurar patentes para coisas da China. Ninguém estará envolvido neste tipo de coisa", completou. "Se você quer falara de problemas, vamos falar sobre a família Trump".

Durante o governo Trump, sua filha Ivanka, assessora da Casa Branca, recebeu a aprovação inicial para algumas marcas registradas para sua empresa de moda, que já fechou. Biden defendeu o trabalho de seu filho na Burisma, situação que provocou acusações de corrupção contra o democrata, apesar de Hunter Biden não ter sido acusado penalmente por má conduta. O ex-vice-presidente admitiu que não sabia as responsabilidades do filho no conselho da empresa de gás. "Não sei o que fazia. Sei que estava no conselho. Fiquei sabendo que estava no conselho depois que ele já estava no conselho", disse Biden.


Questionado se desejava saber mais, o democrata respondeu: "Não, porque confio no meu filho". Os democratas acusam Trump de condicionar ajuda militar e uma reunião na Casa Branca do presidente ucraniano, Volodimir Zelenski, a uma investigação por parte de Kiev contra Joe e Hunter Biden.