Polícia Civil investiga presos por suspeita de apedrejamento de veículos em Porto Alegre

Polícia Civil investiga presos por suspeita de apedrejamento de veículos em Porto Alegre

Titular da 2ª DPHPP, delegada Roberto Bertoldo apura a morte de Munike Fernandes Krischke em junho deste ano na BR 290

Correio do Povo

No sábado passado, PRF deteve dois atiradores de pedras com uma arma

publicidade

A titular da 2ª Delegacia de Polícia de Homicídios e Proteção à Pessoa (2ª DPHPP) de Porto Alegre, delegada Roberta Bertoldo, confirmou na manhã desta segunda-feira que estão sendo investigados todos os presos por suspeita de apedrejamento de veículos na região na BR 290 e avenida Castelo Branco. Ela apura a morte de Munike Fernandes Krischke, 45 anos, atingida por um paralelepípedo contra o Honda WRV, dirigido pelo marido, na noite de 12 de junho deste ano na BR 290, nas proximidades da ponte do Guaíba.

“Sempre que algum indivíduo é preso por envolvimento por arremesso de pedras, nós fazemos as averiguações pertinentes a fim de buscar esclarecer o ocorrido com Munike”, explicou à reportagem do Correio do Povo. “Por ora, não temos a identificação de autoria do crime…”, observou a delegada Roberta Bertoldo.

Na madrugada de sábado passado, a Polícia Rodoviária Federal prendeu dois atiradores de pedras após denúncias de apedrejamentos vindas de motoristas que passavam na BR 448 (Rodovia do Parque), junto da Ponte Estaiada, próximo à Arena do Grêmio, em Porto Alegre. No final da descida da ponte, já em Canoas, o efetivo da PRF abordou a dupla.

Um dos suspeitos, de Canoas, com 29 anos, tem ocorrências por roubo, ameaça, receptação, dano e tráfico. Ele cumpre pena no regime aberto. Já o outro, com 26 anos, também de Canoas, cometeu um latrocínio na cidade em 2016. Ele deveria estar em prisão domiciliar. Um dos indivíduos estava inclusive armado com um revólver calibre 38 e quatro munições. A arma, que havia sido furtada de uma residência em 2016 em Novo Hamburgo, foi apreendida.

Na quinta-feira passada, a PRF já tinha capturado dois foragidos durante a operação de combate às pedradas na freeway e avenida Castelo Branco, em Porto Alegre. Uma foragida, de 38 anos, com nove ocorrências por roubo e uma por homicídio, foi detida. Pedras foram recolhidas no barraco dela improvisado próximo ao local dos ataques, junto ao acesso à ponte do Guaíba. Por sua vez, o outro preso, de 39 anos, possui 12 passagens por furto.

Na noite da segunda-feira anterior, dois veículos foram apedrejados, deixando um ferido, e um terceiro escapou do ataque. Uma viatura rabecão do Instituto-Geral de Perícias também teve o para-brisa quebrado por uma pedra, com cerca de dois quilos de peso. No início deste mês, outros ataques foram registrados.

Santa Catarina 

Em Santa Catarina, o apedrejamento de um veículo resultou em um acidente de trânsito na noite da última sexta-feira em Blumenau. O carro passava pela rua Grevsmuehl, no bairro Glória, e foi alvo de várias pedradas, sendo que uma delas quebrou o vidro da janela do motorista.

Desgovernado, o veículo caiu em uma ribanceira com cerca de 20 metros. Três adultos, uma criança e um bebê tiveram ferimentos leves, sendo socorridos e encaminhados para atendimento médico em um hospital da cidade. O Corpo de Bombeiros Militar foi mobilizado. Acionada, a Polícia Militar realizou buscas na região do apedrejamento, mas não localizou nenhum suspeito. Ao menos quatro homens teriam sido vistos atirando as pedras. O caso é apurado agora pela Polícia Civil.


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895