Doria diz que recebeu "ataque descontrolado" de Bolsonaro em videoconferência
capa

Doria diz que recebeu "ataque descontrolado" de Bolsonaro em videoconferência

Governador de São Paulo disse que ao invés de discutir medidas para salvar vidas, presidente preferiu falar sobre política e eleições

Por
Correio do Povo

Reunião ocorreu por videoconferência


publicidade

Após vídeoconferência com o presidente Jair Bolsonaro e governadores da região Sudeste, o chefe do Executivo de São Paulo, João Doria, se mostrou insatisfeito com a reunião e afirmou que "recebeu como resposta um ataque descontrolado do presidente". Em uma série de mensagens compartilhadas em suas redes sociais, o empresário, que faz gestão do estado mais rico do País e até o momento aquele que registra mais óbitos e casos confirmados de Covid-19, disse que Bolsonaro teve "postura decepecionante" perante o que foi apontado por seus colegas. "Levamos as solicitações do Governo de SP e nosso posicionamento sobre a forma como a crise deve ser enfrentada", explicou.

"Ao invés de discutir medidas para salvar vidas, preferiu falar sobre política e eleições. Lamentável e preocupante. Mais do que nunca precisamos de união, serenidade e equilíbrio para proteger vidas e preservar empregos", escreveu no Twitter.

Na rede social, Doria afirmou que o Estado paulista tem 40 mortos dos 46 em todo o Brasil em decorrência do novo coronavírus – os números são de balanço do Ministério da Saúde divulgado na terça, que não contabiliza o primeiro óbito do Rio Grande do Sul, em Porto Alegre. "São pessoas que tinham RG, CPF, e familiares que continuarão sentindo sua falta. Não são mortos de mentirinha, presidente. E essa não é apenas uma 'gripezinha'", disse.

O encontro foi marcado por um clima acalorado entre os dois. Bolsonaro acusou Doria de fazer uso político da situação e o mandou descer do palanque. Também disse que o governador uso se nome para se eleger e depois lhe deus as costas. O tucano respondeu que o presidente é "leviano" e cobrou mais responsabilidade.