Eleições 2024: candidatos aceleram articulações em Santa Maria

Eleições 2024: candidatos aceleram articulações em Santa Maria

Primeiros dias de julho foram marcados por anúncios e definições do cenário eleitoral na cidade

Flavia Bemfica

Eleições 2024: candidatos aceleram articulações em Santa Maria

publicidade

No quinto maior colégio eleitoral do Estado, Santa Maria, os pré-candidatos à prefeitura estão em campanha aberta. E já fazem de visitas a locais e comunidades atingidos pela tragédia climática, ou do engajamento em ações de reconstrução, oportunidades para o corpo-a-corpo com eleitores e a divulgação de suas plataformas.

Concorrentes de oito partidos se apresentaram para a disputa ao comando da cidade nas eleições deste ano, mas as alianças ainda não estão todas fechadas, e o número pode diminuir. Os primeiros dias de julho foram marcados por uma série de anúncios.

No dia 4, em um ato da pré-candidatura do ex-deputado Giuseppe Riesgo (Novo) à prefeitura, o MDB anunciou que vai se unir a Riesgo e indicou a vice da chapa, a ex-vereadora Magali Marques da Rocha. A dobradinha com o Novo acontece depois de o MDB ter ensaiado candidatura própria. Primeiro, com o secretário estadual de Desenvolvimento Social, Beto Fantinel, que desistiu da disputa. E, depois, com a própria Magali.

Em 5 de julho foi o ex-reitor da UFSM, Paulo Burmann (PDT), quem lançou a pré-candidatura à prefeitura, durante jantar de comemoração de seu aniversário. O PDT chegou a conversar com o PT, mas as negociações esbarraram no fato deste último ter destinado previamente a vaga de vice ao União Brasil. Os trabalhistas vêm mantendo diálogo com outras duas siglas que também apresentaram postulantes ao Executivo. O Podemos, que indicou como pré-candidato o vereador Tony Oliveira. E o PRD, que escolheu Moacir Alves.

No sábado, 6, foi a vez do PSol (que é federado com a Rede) confirmar a disposição de ter candidato próprio e lançar seu presidente, Alidio da Luz. O partido havia entabulado negociações com o PT, mas elas também não foram adiante em função da aliança dos petistas com o União Brasil.

O PT, que forma federação partidária com PCdoB e PV, foi o primeiro partido a lançar pré-candidato para a prefeitura, o deputado estadual Valdeci Oliveira, ainda no ano passado. E antecipou as articulações locais ao, também em 2023, acertar a vaga de vice para José Farret. Valdeci já comandou a prefeitura duas vezes. Em 2016, perdeu o segundo turno para o atual prefeito, Jorge Pozzobom (PSDB), por 226 votos. Farret, hoje no União Brasil, também é ex-prefeito, e nome tradicional da política local. Até há poucos anos, foi uma das lideranças do Progressistas na cidade.

Para enfrentar a dupla e tentar fazer o sucessor, Pozzobom, no final do segundo mandato, colocou em curso uma série de articulações ainda desde 2023. O resultado foi que o atual vice-prefeito, Rodrigo Decimo, antes do União Brasil, deixou a sigla e será o candidato do PSDB à sucessão. O PSDB está federado com o Cidadania. O PP indicou recentemente Lúcia Madruga para vice de Decimo. Há negociações em curso para a oficialização do ingresso de PSD, PSB e Republicanos na coalizão. Na última segunda-feira, dirigentes das cinco legendas fizeram uma primeira reunião formal. Nesta quinta, realizarão um novo ato.

A corrida em Santa Maria tem ainda a participação da vereadora Roberta Leitão, que deixou o PP e anunciou sua pré-candidatura à prefeitura pelo PL.


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895