Leite fala em priorizar "linha de frente" do combate à Covid-19 em início de vacinação no RS

Leite fala em priorizar "linha de frente" do combate à Covid-19 em início de vacinação no RS

Técnica de enfermagem do SUS que atua no Clínicas será a primeira pessoas em solo gaúcho a ser imunizada com a CoronaVac

Correio do Povo

Leite fala em priorizar "linha de frente" do combate à Covid-19 em início de vacinação no RS

publicidade

Após participar da cerimônia de distribuição das doses da CoronaVac para todos os estados do Brasil, o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, destacou que a vacinação irá priorizar pessoas que estão atuando na "linha de frente" do combate à Covid-19. Uma técnica de enfermagem do Clínicas, em Porto Alegre, deve ser a primeira pessoa a ser vacinada em solo gaúcho. 

"A primeira pessoa a ser vacinada será uma técnica de enfermagem do SUS, que tem uma atuação exemplar na linha de frente do combate à Covid-19. Isso simboliza toda a classe que está se dedicando muito contra o coronavírus. Teremos esse cuidado especial com essas pessoas, que são prioridades neste cronograma de vacinação", esclareceu em entrevista à Rádio Guaíba. 

Um avião irá trazer ainda hoje as 341,8 mil doses da CoronaVac, importadas da China, para o Rio Grande do Sul. Ao ser quesitonado sobre o cronograma de vacinação, Leite esclareceu que o calendário foi definido com o auxílio do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) e do Ministério da Saúde. 

"Dentro dessa estratégia coordenada, com a sinergia entre os estados, sem diferenças, sem disputadas entre si, vamos fazer a vacinação para dar segurança a todos. Cada vez que vacinamos alguém, vamos diminuindo o volume de contágio. Queremos o maior volume de imunização possível e a nossa meta é vacinar 90% de cada público-alvo", declarou Leite. 

Interior 

O governador comentou que as cidades do interior do Rio Grande do Sul receberão as doses da CoronaVac entre 24 horas e 30 horas depois da chegada ao Estado. "Neste espaço de tempo as cidades do interior estarão abastecidas. A partir daí, cada uma poderá buscar os imunizantes nas centrais regionais", disse. 

 


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895