Prefeitura entrega orçamento 2019 com estimativa de mais de R$ 900 milhões de déficit

Prefeitura entrega orçamento 2019 com estimativa de mais de R$ 900 milhões de déficit

Documento recebido nesta segunda-feira pelo presidente da Câmara de Vereadores

Cláudio Isaías

Prefeito em exercício, Gustavo Paim, entregou documento ao presidente da Câmara de Vereadores, Valter Nagesltein

publicidade

Com uma estimativa de déficit de mais de R$ 900 milhões, a prefeitura de Porto Alegre entregou, nesta segunda-feira, o projeto da Lei Orçamentária Anual (LOA) 2019 ao presidente da Câmara Municipal, Valter Nagelstein. A matéria deve ser apreciada e votada pelos vereadores até o dia 5 de dezembro.

De acordo com o prefeito em exercício da Capital, Gustavo Paim, a Lei Orçamentária do ano que vem traz investimentos necessários para que o Executivo consiga realizar o plano de trabalho com a entrega de obras e serviços à população. “Investimento considerável no que diz respeito ao Tapa-Buracos. Em saúde e educação, o Executivo investiu até acima do que se estabelece na Constituição Federal”.


Segundo Paim, é preciso discutir algumas questões como o crescimento vegetativo da folha de pagamento dos servidores. A LOA foi elaborada em consonância com a Lei de Responsabilidade Fiscal, com o PPA 2018/2021, com a LDO e com as prioridades do Orçamento Participativo. Paim disse que o déficit diminuiu em relação à LDO devido à revisão detalhada de todos os serviços e entregas, ajustando para a capacidade de execução em 2019 e pela alocação de despesas que devem ser buscadas através de recursos externos.

O déficit da LOA representa de forma realista o que faltam de recursos para atendermos às demandas da população de maneira eficiente e satisfatória em um ano de execução da prefeitura. Já em relação ao aumento do déficit na LOA de 2018 (R$ 708 milhões) para 2019 (R$ 918 milhões), o prefeito em exercício explicou que está previsto a queda de R$ 100 milhões de ICMS repassado pelo governo do Estado em função da não prorrogação das alíquotas aumentadas em 2015. Também foi contabilizado o crescimento vegetativo da folha de pagamentos dos servidores municipais, em torno de R$ 90 milhões e a inclusão ou ampliação e despesas para atendimento das demandas da cidade.

Entre elas: R$ 98 milhões para o Tapa-Buraco; R$ 50 milhões para reforma de escolas, e R$ 18 milhões para reformas de parques e praças, além de R$ 6,5 milhões para ampliação do atendimento dos postos de saúde até as 22hs. Além de R$ 45,6 milhões para fornecimento de medicamentos; R$ 102,4 milhões para a segurança pública, e R$ 26,6 milhões para aumento da oferta da assistência social.

Aumento de R$ 194,6 milhões para saúde, R$ 92,4 milhões para educação e R$ 41,4 milhões para a segurança. Na apresentação, o prefeito em exercício afirmou que em relação aos gastos com saúde (24%) e educação (29,5%) a prefeitura supera os percentuais constitucionais de 15% e 25%, respectivamente. Como forma de reduzir o déficit, Paim sugere a aprovação dos projetos de lei que modificam os aumentos automáticos de pessoal e reforma da previdência municipal e a contratação de empréstimos nacionais. Confira as áreas e os valores destinados:

LOA, LDO e PPA: entenda o orçamento municipal

A Lei Orçamentária Anual faz parte de um conjunto de três instrumentos. Além dela existe a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), aprovada na Câmara de Vereadores no dia 10 de outubro e sancionada no dia seguinte, e o Plano Plurianual (PPA). São exigências legais que se complementam: a LDO identifica no Plano Plurianual as ações que receberão prioridade no exercício seguinte e torna-se o elo com a Lei Orçamentária Anual, que é o instrumento que viabiliza a execução do plano de trabalho do ano seguinte.

LOA 2019 em números

Despesa Total: R$ 8,41 bilhões
Receita Total: R$ 7,5 bilhões
Déficit: R$ 918 milhões

Receita Tributária: R$ 2,53 bilhões
Receitas de Transferências: R$ 2,79 bilhões
Receitas de Operações de Crédito: R$ 555 milhões
Pessoal: R$ 3,7 bilhões (Tesouro R$ 3,2 bi, Vinculados R$ 416,2 mi)

Outras Despesas Correntes: R$ 3,03 bilhões (Tesouro R$ 1,8 bi, Vinculado R$ 1,2 bi) Investimentos: R$ 902 milhões (Tesouro R$ 200,8 mi, Vinculados R$ 700,3 mi)

Maiores investimentos Saúde:
- SUS: R$ 633 milhões;
- Saúde da Família: R$ 147 milhões;
- Atenção Primária: R$ 55 milhões;
- HPS: R$ 52 milhões;
- Assistência farmacêutica: R$ 47 milhões.

Educação:
- Creches: R$ 159 milhões;
- Ed. Básica e fundamental: R$ 100 milhões;

Mobilidade Urbana:
- Tapa-buracos: R$ 98 milhões;
- Qualificação transporte público: R$ 65 milhões.

Serviços para a cidade:
- Iluminação Pública/Manutenção: R$ 41 milhões;
- Drenagem/Manutenção: R$ 40 milhões;
- Desassoreamento de arroios: R$ 7 milhões;
- Poda: R$ 5 milhões.

Segurança:
- Guarda Municipal: R$ 7,5 milhões;
- Monitoramento integrado: R$ 6 milhões.

Programas constantes da LOA

Cidade mais Segura;
Educação Nota 10;
Saúde Noite e Dia;
Porto Alegre para Todos;
Mais Cultura, Lazer e Esporte;
Cidade Aberta;
Porto Alegre do Futuro;
Servindo Porto Alegre;
Gestão de Processos, Tecnologia e Transparência;
Gestão de Pessoas;
Gestão Fiscal.

Orçamento Participativo:

Para 2019 a LOA prevê um total de 59 demandas do OP, somando R$ 274,6 milhões.
Todas as demandas do OP que têm recursos previstos para 2019 estão destacadas em um único demonstrativo na Lei Orçamentária. Essa iniciativa garante maior transparência e facilidade na identificação das demandas das comunidades, organizando e qualificando o processo.

publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895