Brasil e Argentina fazem final antecipada na Copa América
capa

Brasil e Argentina fazem final antecipada na Copa América

Partida começa às 21h30min no Mineirão

Por
AFP

Everton é a esperança de gols no ataque do Brasil

publicidade

Poderia ter sido a final dos sonhos, mas o destino quis que Brasil e Argentina medissem forças nas semifinais pela primeira vez na história da Copa América, em um duelo de gigantes sul-americanos. O palco do combate desta terça, às 21h30min, será o Mineirão, onde o Brasil sofreu sua maior derrota, o 7 a 1 para a Alemanha nas semifinais da Copa do Mundo de 2014. Mas foi lá também que a Seleção venceu por 3 a 0 a Argentina nas eliminatórias para a Copa da Rússia-2018.

O Brasil nunca perdeu uma Copa América como anfitrião e a torcida exige que esta estatística seja mantida. Já a Argentina, que não vence o torneio desde 1993, terá a oportunidade de ferir o eterno rival, mas precisará que Lionel Messi mostre seu futebol.

ACOMPANHE A PARTIDA MINUTO A MINUTO ÀS 21h30min

Um pouco de história

Em 105 anos de rivalidade, o Brasil teve Pelé e a Argentina contou com Maradona. As duas superpotências continentais já se enfrentaram 110 vezes, embora cinco destes jogos não sejam reconhecidos pela Fifa. O retrospecto não poderia ser mais equilibrado, com 42 vitórias para cada lado e 26 empates. A Argentina anotou 176 gols, o Brasil 171.

De acordo com a Fifa, seriam na verdade 105 clássicos, com 41 vitórias brasileiras e 38 argentinas, além de 26 empates. A Argentina soma 14 troféus continentais, contra 8 do Brasil.

Favoritismo

"É difícil dizer quem é favorito quando se joga um Brasil e Argentina, eles são os anfitriões, que têm que se provar para sua torcida, que têm um projeto mais longo, são jogadores que vêm com o mesmo técnico, a mesma ideia, mas é uma partida equilibrada", analisou Messi. O Brasil chega às semifinais sem ter sofrido um gol sequer em quatro jogos, mas, apesar da goleada por 5 a 0 sobre o Peru na última partida da fase de grupos, tem sofrido para balançar as redes adversárias.

Foto: Ricardo Giusti

Nas quartas de final, não conseguiu superar o bloqueio defensivo do Paraguai e só alcançou a vaga nos pênaltis (4-3). Já a Argentina começou tropeçando na Copa América, perdendo por 2 a 0 para a Colômbia e empatando em 1 a 1 com o Paraguai. Em seguida, ressuscitou na competição com uma vitória por 2 a 0 sobre o Catar e venceu a Venezuela pelo mesmo placar nas quartas.

Casemiro de volta

Sem Neymar, fora por lesão, o Brasil viu surgir Everton 'Cebolinha', atacante do Grêmio, que se tornou o xodó da torcida e a principal arma ofensiva da equipe de Tite, jogando no ataque ao lado de Firmino e Gabriel Jesus. Casemiro voltará ao meio de campo da Seleção após cumprir suspensão e a única dúvida na equipe é o lateral-esquerdo Filipe Luís, que se queixa de dores na perna e poderia ser substituído por Alex Sandro. Richarlison já se recuperou da caxumba que o tirou do duelo contra o Paraguai e estará à disposição para o confronto com os argentinos.

Foto: Douglas Magno / AFP / CP

Messi sumido

E se o Brasil sente a falta de Neymar, na Argentina o craque Lionel Messi ainda não deu as caras nos campos brasileiros. O próprio jogador culpou em parte o estado ruim dos gramados por suas atuações apagadas, mas admitiu que não está em suas melhores condições. "A verdade é que não estou fazendo minha melhor Copa América, mas são jogos que acontecem assim", lamentou recentemente Messi.

Foto: Luis Acosta / AFP / CP

Em sua 'ausência', quem vem assumindo a responsabilidade é o jovem atacante Lautaro Martínez, da Inter de Milão. "Estamos mostrando que em cada jogo damos tudo de nós", declarou Lautaro. Mas ninguém subestima Messi. "É claro que todo cuidado é pouco para uma equipe com o melhor jogador do mundo", reconhece o zagueiro Thiago Silva.

Quem também terá grande desafio neste confronto de semifinal é o técnico da Argentina, Lionel Scaloni, que sabe que uma vitória sobre o Brasil significaria um 'upgrade' no raso currículo. "Acho que vai ser um jogo bonito, queremos criar dificuldades e ganhar", afirmou o treinador. Até agora, Scaloni optou por deixar Paulo Dybala como peça de reposição no banco de reservas. Talvez poderia surpreender contra o Brasil.

Ao ataque

Nesta terça-feira, o Brasil espera uma Argentina ofensiva, num torneio em que as retrancas vêm estragando o espetáculo, com direito a três jogos sem gol nas quartas de final. "Não acredito que a Argentina venha para se defender, porque tem jogadores de qualidade, que atacam muito, acredito que vão partir para cima", declarou Gabriel Jesus.

Semifinal - Copa América

Brasil
Alisson; Dani Alves, Marquinhos, Thiago Silva, Filipe Luis (ou Alex Sandro); Arthur, Philippe Coutinho, Casemiro; Gabriel Jesus, Roberto Firmino, Everton. Técnico: Tite.

Argentina
Franco Armani; Juan Foyth, German Pezzela, Nicolás Otamendi, Nicolás Tagliafico; Rodrigo De Paul, Leandro Paredes, Marcos Acuña; Lionel Messi; Sergio Agüero, Lautaro Martínez. Técnico: Lionel Scaloni.

Árbitro: Roddy Zambrano (EQU)
Estádio: Mineirão
Horário: 21h30min