Alunos de Escola de Sapucaia do Sul não tiveram aula de inglês este ano
capa

Alunos de Escola de Sapucaia do Sul não tiveram aula de inglês este ano

Outro problema é a biblioteca da instituição, fechada por falta de profissional responsável

Por
Fernanda Bassôa

Alunos não podem usar a biblioteca por falta de profissional

publicidade

Próximo de terminar o primeiro trimestre do ano letivo, estudantes matriculados entre os 7º e o 9º ano da Escola Estadual de Ensino Fundamental Sapucaia, em Sapucaia do Sul, ainda não iniciaram as atividades da disciplina de inglês. A direção afirma que faltam professores para lecionar a matéria em oito turmas. Isso significa que, desde o início do ano, cerca de 250 estudantes, do total de 560, não tiveram aula de língua estrangeira. Além do quadro de professores incompleto, falta supervisor, a biblioteca, fechada por falta de bibliotecário, é usada como depósito e nove dos 15 computadores disponíveis na sala de informática estão estragados.

O militar Alessandro Alves, 45 anos, que tem a filha matriculada no 9º ano, diz estar aflito. “É o último ano dela, fechamento de um ciclo, e isso acaba preocupando sim. Muitos alunos sairão daqui e vão para escolas técnicas. Vai ficar uma lacuna na aprendizagem.” A diretora da instituição, Nívea Luiza Bastos Boavista, diz que os alunos são prejudicados com a falta dos profissionais e de conteúdo. “A nota é formada por área de conhecimento. Neste caso, o inglês está vinculado a português, artes e educação física. No período que deveria ser inglês, eles são deslocados para outras atividades.”

O vice-diretor da escola, Bruno Stankiewicz Ferreira, diz que os estudantes também são prejudicados pelo fechamento da biblioteca. A professora que era responsável pelo setor teve que retornar à sala de aula por determinação da Secretaria Estadual de Educação. “Eventualmente, professores pegam livros para ilustrar as aulas. Entretanto, pela falta de profissionais, o local se transformou em um depósito, tanto de livros, quanto de materiais. Sem falar que as obras estão velhas e a sala tem infiltração.” Os problemas não param por aí. “Os computadores que temos disponíveis são usados para pesquisas durante o contraturno escolar porque não há como trabalhar com 30 alunos e seis computadores.”

A Secretaria Estadual de Educação informou que o processo de chamamento para o professor de língua inglesa da Escola Sapucaia está em andamento e que haverá recuperação das aulas conforme calendário escolar. Segundo a pasta, existe um profissional de supervisão designado para a função na instituição. Sobre a biblioteca, no ano passado, o professor responsável foi realocado para suprir a necessidade de falta de professor em sala. A secretaria disse estar atenta à necessidade de reorganizar os espaços, com profissionais específicos para a área. Sobre o laboratório de informática, os computadores podem ser comprados ou consertados via autonomia financeira, ou seja, verba que a escola recebe mensalmente.