Câmara de Vereadores de Pelotas anuncia compra da atual sede do Legislativo

Câmara de Vereadores de Pelotas anuncia compra da atual sede do Legislativo

Com a aquisição, a Casa economizará R$ 44 mil por mês em aluguel

Por
Angélica Silveira

O imóvel foi negociado por R$ 4,550 milhões


publicidade

Na manhã desta quinta-feira, o presidente da Câmara de Vereadores de Pelotas, Fabrício Tavares, anunciou que o prédio onde está instalado o Legislativo na rua Quinze de Novembro será adquirido. A compra será realizada após negociação com o proprietário por R$ 4,550 milhões, sendo uma entrada de 30% paga no próximo dia 1º de junho e o restante em 12 parcelas mensais a serem quitadas a partir de 1º de julho. O valor será pago pelo município, uma vez que em janeiro o Legislativo emprestou do fundo para o novo prédio ao Executivo R$ 10 milhões. Com isso, o Legislativo deixará de pagar um aluguel de R$ 44 mil por mês. 

“Há um apontamento do Tribunal de Contas em função do valor do aluguel e um inquérito civil ao qual fui chamado como testemunha, que pode chegar à Justiça. Então, isso acelerou a vontade de resolver o problema da sede”, justifica. Foi aberto um chamamento público de proposta de venda no ano passado e quatro possibilidades foram abertas. Duas propostas ficaram sob a análise e a melhor, decidida pela mesa diretora da Câmara, foi a compra da atual sede. “Iremos adquirir com legitimidade tipicamente administrativa. Agora, o jurídico vai formalizar o contrato em cartório e encerrar a questão do aluguel”, garantiu.  

A Câmara está instalada no endereço desde 2009, quando deixou um prédio também alugado na rua Marechal Deodoro. Tavares afirma que as demais possibilidades se tornaram inviáveis. "Falavam do prédio na esquina da prefeitura, que o restauro era R$ 7 milhões em 2006. Passados 13 anos, o prédio se deteriorou mais e o custo seria maior.” Outra opção foi um terreno na avenida Bento Gonçalves, que teve pedra fundamental da obra lançada, mas, conforme Tavares, não seria possível mudança imediata e o município teria que encontrar nova sede para a Secretaria de Desenvolvimento Rural.


Sobre os problemas de tamanho da atual estrutura, Tavares apontou duas opções: construir um ou dois andares sobre o plenário ou comprar (ou desapropriar) os dois imóveis que ficam ao lado do prédio. “A segunda é a ideia que mais me agrada. Resolveríamos, por exemplo, a questão do tamanho de alguns gabinetes, considerados pequenos”, sugeriu.  A intenção de ficar onde estão não agradou a todos os parlamentares, como o vereador Ivan Duarte. “A manutenção deste prédio é ruim. Se for ao banheiro o mau cheiro é insuportável, não tem como adaptar o encanamento sem mexer na estrutura.  É uma casa velha adaptada. Acho que o dinheiro que temos daria para construir um prédio pensado para uma Câmara de Vereadores”, observa.