Campo Bom publica edital para a compra de medicamentos contra Covid-19
capa

Campo Bom publica edital para a compra de medicamentos contra Covid-19

Aquisição envolve itens como Ivermectina, Cloroquina e Azitromicina, entre outros

Por
Stephany Sander

publicidade

A prefeitura de Campo Bom publicou o edital para a compra de medicamentos destinados ao tratamento e prevenção do coronavírus e que envolvem itens como Ivermectina, Cloroquina e Azitromicina, entre outros. Conforme o prefeito Luciano Orsi, embora a farmácia pública deva dispor dos itens recomendados, a decisão pela prescrição é exclusiva do profissional médico em conjunto com o paciente.

Um termo de consentimento será utilizado tendo em vista tratar-se de remédios denominados off label, ou seja, cujo uso não segue indicações homologadas pelos órgãos competentes. “Foi uma opção minha. Acho que temos que dar o direito de uso a quem acredita na medicação. Venho há semanas estudando e tratando desse assunto por meio de videoconferências com profissionais até de outros estados. Também conversei com prefeitos aqui da região. Ouvindo nossa equipe técnica, que também se apropriou de todas as informações, decidimos por disponibilizar”, destaca o prefeito que está em tratamento médico por ter testado positivo para Covid-19. Segundo ele, a prerrogativa pela prescrição é do médico que terá o respaldo da farmácia municipal no fornecimento.

Estão na lista de aquisição pelo Pregão Eletrônico 053/2020 Cloroquina, Hidroxicloroquina, Ivermectina, Dexametasona e Azitromicina. Os únicos que são novos no rol de medicamentos usados contra o coronavírus em Campo Bom são a Cloroquina e a Hidroxicloroquina que em breve devem estar disponíveis.


A secretária municipal de Saúde, Suzana Ambros Pereira, reforça que a indicação destes medicamentos se dará somente se o médico achar que devem ser prescritos e para aqueles pacientes que assinarem um termo de consentimento. Os demais itens do edital reforçam o estoque antevendo que a saída deve ser maior nos próximos dias por estarmos em um momento de alta contaminação em toda região. “Há consenso entre os médicos da rede que é necessária uma avaliação individual do médico ao seu paciente”, reforça a secretária.