Canoas abriu 302 leitos para pacientes com Covid-19

Canoas abriu 302 leitos para pacientes com Covid-19

Prefeito Jairo Jorge destacou as medidas de enfrentamento à pandemia em transmissão virtual sobre os primeiros 100 dias de gestão

Fernanda Bassôa

Dos leitos destinados a pacientes com Covid, 94 são de UTI e 208 de enfermaria

publicidade

Os 100 primeiros dias da gestão do prefeito Jairo Jorge, em Canoas, foram marcados por desafios e investimentos diante da pandemia do novo coronavírus. A prestação de contas do primeiro trimestre ocorreu nesta segunda-feira, em uma conversa com a imprensa durante transmissão virtual. Jairo Jorge falou sobre as medidas para triplicar o número de leitos na rede hospitalar, ampliando a capacidade de atendimento diante da alta de casos, especialmente nos meses de fevereiro e março. “A testagem das pessoas e o rastreamento também são pontos importantes, juntamente com o avanço da vacinação contra a Covid-19.” Segundo ele, Canoas chegou a marca de 77 mil testes. Além disso, foram abertos 302 leitos exclusivos para pacientes com coronavírus: 94 de UTI e 208 de enfermaria.

O prefeito disse que esses 100 dias foram marcados pelo momento mais grave da pandemia, com o aumento do número de contágios e de internações e pela imposição de medidas mais rígidas características da bandeira preta. “É preciso que as prefeituras dialoguem com o Estado, e a cogestão neste momento também é importante. Não podemos abandonar as medidas adotadas, mas é preciso intensificar as fiscalizações sobre festas clandestinas e aglomerações, locais onde mais ocorrem as contaminações.”

Jairo Jorge informou que somente em 2021 mais de R$ 170 milhões foram investidos na área da saúde. “Abrimos uma UPA 24 horas não Covid e centros de testagem, instalamos tanques de oxigênio, houve a contratação do serviço de três UTIs Móveis e adquirimos equipamentos importantes para os hospitais, como bombas de infusão, respiradores e leitos.”

O gestor disse também, que com a redução de funções gratificadas e de secretarias meio, houve economia de R$ 17 milhões aos cofres públicos no período. “Nossa meta é retomar a Lei do Gatilho, para que haja melhor arrecadação e menor carga tributária. Tivemos uma queda de 10% na arrecadação devido aos impactos financeiros causados pela pandemia.” O prefeito destacou também a importância da contratação de equipes, tanto guardas municipais quanto de agentes da Vigilância em Saúde, para o reforço da fiscalização das medidas restritivas, a fim de evitar a proliferação do vírus.

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895