Casos de Covid-19 seguem em crescimento exponencial no Vale do Sinos, aponta pesquisa

Casos de Covid-19 seguem em crescimento exponencial no Vale do Sinos, aponta pesquisa

Estudo reuniu dados do Governo do RS e do Conselho Regional de Desenvolvimento do Vale do Rio dos Sinos

Stephany Sander

Estudo foi feito pelo mestrado em Virologia da Feevale

publicidade

Os casos de Covid-19 seguem em crescimento exponencial na região do Vale do Sinos, apontou uma pesquisa divulgada pela Universidade Feevale, nesta sexta-feira. Para o estudo, feito pelo mestrado em Virologia da instituição, foram considerados os dados disponibilizados pelo Conselho Regional de Desenvolvimento (Corede) do Vale do Rio dos Sinos (Consinos) e pelo Governo do Rio Grande do Sul no painel da Covid-19 no Estado. 

Na última semana, foram registrados 57 óbitos pela doença, sendo o maior número desde o início da pandemia. De acordo com o estudo, os dados consolidam de que a pandemia está em seu pior momento, superior ao pico de julho. Na semana de 31 daquele mês, por exemplo, foram contabilizados 1.942 novos casos de Covid-19; desde a semana do dia 20 de novembro, o número de casos ultrapassa os 2 mil na região: 2.101, 2.545 e 2.541 neste dia 4. 

Ainda de acordo com a pesquisa, em números absolutos, a região do Vale do Sinos acumula um total de 34.749 casos confirmados e 689 óbitos. Neste cenário, a ocupação das Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) já atingiu 113%, também o maior índice desde o pico registrado em julho. 

De acordo com a coordenadora do mestrado em Virologia da Universidade Feevale, Juliane Fleck, não foi observado aumento no número de novos casos, mas a expressiva ampliação na ocupação das UTIs e no número de mortes por Covid-19 na região, confirmando o agravamento da pandemia e o seu crescimento exponencial. “É evidente que a mudança de comportamento é imprescindível para evitarmos um cenário ainda mais impactante, especialmente considerando o período de final de ano”, afirmou.  

Segundo o levantamento, considerando somente os testes realizados pela Feevale, por exemplo, a média móvel de casos positivos que era de, aproximadamente, 25% em outubro, atingiu 40% na última quinzena de novembro, e, nesta última semana, está alcançando 45% – na semana de 29 de novembro a 3 de dezembro, de 885 amostras analisadas, 396 foram positivas (44,74%).  

 

 


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895