Comércio de Caxias estima queda de 30% na vendas para o Dia dos Pais

Comércio de Caxias estima queda de 30% na vendas para o Dia dos Pais

Cidade apresentou bom movimento de público pelas ruas centrais

Por
Celso Sgorla

Somente 39,32% dos 384 entrevistados afirmaram que pretendiam presentear no domingo


publicidade

Após a volta para a bandeira laranja, Caxias do Sul apresentou bom movimento de público pelas ruas centrais da cidade. A expectativa do comércio é de recuperar em parte os prejuízos das três semanas onde permaneceu fechado em função da bandeira vermelha até porque no próximo domingo é celebrado o Dia dos Pais.

Baseada nos resultados da sua tradicional pesquisa de intenção de compras e também nas medidas de flexibilização de atendimento do comércio local, a CDL Caxias estima que com o retorno de Caxias do Sul para a classificação laranja, autorizando o recebimento do público, as perdas em relação ao mesmo período do ano passado podem ser amenizadas, chegando a 30% de queda.

Segundo a pesquisa de intenção de compras promovida pela CDL Caxias, realizada de 18 a 23 de julho, somente 39,32% dos 384 entrevistados afirmaram que pretendiam presentear no domingo. No ano anterior, este movimento era de 63,68%.

Metade dos entrevistados da pesquisa da CDL Caxias afirmaram que o coronavírus afeta muito na hora da compra. O estudo apurou ainda que 64% da população declarou que a renda da família foi muito prejudicada por conta da crise provocada pela Covid-19.

Ainda segundo o levantamento de intenção de compras, neste ano, o ticket médio será de R$ 188,00 por presente. A preferência ainda é pelo atendimento presencial, sendo que 55% devem ir em lojas de rua do centro, 15,63% nas de bairros, 8% em shopping e apenas 8% pretendem comprar via comércio eletrônico.


 O gerente Administrativo Financeiro da CDL Caxias do Sul, Carlos Alberto Cervieri, informou ainda que o levantamento também confirmou que o caxiense não está familiarizado com as formas alternativas de comercialização através de venda online, telentrega e pegue-leve. Apesar de quase 49% dos participantes afirmarem que estão comprando mais através do delivery, este volume é direcionado para restaurantes, lancheiras e fast foods, representando 63% das escolhas.