Comerciantes protestam contra restrições em Uruguaiana

Comerciantes protestam contra restrições em Uruguaiana

Manifestantes consideram arbitrárias e injustas as medidas adotadas para o comércio devido a bandeira preta

Fred Marcovici

Vereadores receberam representantes dos comerciantes para ouvir as demandas da categoria

publicidade

Um grupo de comerciantes insatisfeitos com o fechamento das lojas devido a adoção da bandeira preta realizou manifestação em frente à Câmara de Vereadores de Uruguaiana, na Praça Barão do Rio Branco, na manhã desta segunda-feira. Sob o lema: “Essa conta não é nossa", empresários de diversos segmentos apelaram para que haja uma flexibilização das medidas sob pena de demissões, fechamentos e até falências. Proprietários de imobiliárias, restaurantes, padarias, salões de beleza e outras dezenas do setor de varejo se reuniram sob as mesmas demandas.

Segundo Aerton Auzani, um dos organizadores do movimento, a situação hoje é insuportável. “Ou fecha tudo, ou abre tudo. A bandeira preta é um lockdown meia-boca, péssimo para todos da categoria”, explica. “Queremos tratamento igualitário”, acrescenta.

Conforme Aerton, bancos, igrejas, free shops, supermercados estão lotados enquanto outros à mingua apenas acumulam dívidas e prejuízos. “Não houve a concessão de empréstimos, créditos, redução de impostos, prorrogação de prazos e todo o descaso está colapsando os pequenos. Além da inércia da fiscalização. O dia 5 de março se avizinha, quem paga nossos funcionários?”, questionou. Os vereadores receberam uma representação dos comerciantes em audiência para ouvir as demandas da categoria.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895