Consolidação de dados aponta Uruguaiana em estado de alto risco para a dengue

Consolidação de dados aponta Uruguaiana em estado de alto risco para a dengue

Em algumas localidades do município, o índice de infestação predial chega a 13,5%

Fred Marcovici

Durante o trabalho, foram vistoriados 2.250 imóveis

publicidade

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Uruguaiana, por meio de agentes de endemias da Vigilância Ambiental em Saúde, realizaram na última semana de abril, o segundo Levantamento Rápido de Índice do Aedes aegypti (LIRAa) de 2022. O documento, elaborado pela Vigilância Ambiental em Saúde, apontou como resultado, após a consolidação, que Uruguaiana está no estágio mais alto de risco para a dengue. No total, foram vistoriados 2.250 imóveis durante o trabalho.

O Índice de Infestação Predial (IIP) foi de 10 %, que é considerado de alto risco para a ocorrência de dengue, zika e chikungunya. O valor representa a porcentagem de imóveis com focos de Aedes aegytpi, entre os pesquisados pelos Agentes de Controle de Endemias (ACE). O Índice de Breteau (IB) é um valor numérico que define a quantidade de Aedes aegypti em fase larvária encontrada dentro das casas. O número serve como referência para medir o nível de infestação do mosquito. São três categorias: Ideal, com índices iguais ou abaixo de 1,0; Alerta, entre 1,0 e 3,9; e Alto Risco, com valores acima de 3,9. Uruguaiana apresentou o resultado de 12,6.

Para a realização do LIRAa, o município foi dividido em cinco estratos (lotes de bairros) com 8,1 mil a 12 mil imóveis. O estrato 2 (Bela Vista, Francisca Tarragó, Nova Esperança, Prolar/Promorar, João Paulo II e Cabo Luiz Quevedo) apresentou o índice de infestação predial mais alto, com 13,5%. As autoridades reforçam a necessidade de cuidados e prevenção por parte da população.

Veja Também


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895