Contaminação de Covid-19 segue em alta na Azonasul

Contaminação de Covid-19 segue em alta na Azonasul

Vinte e dois municípios apresentaram novos casos nos últimos sete dias e todos têm casos ativos

Angélica Silveira

publicidade

Nesta quinta-feira, a Associação dos Municípios da Zona Sul (Azonasul) divulgou o panorama regional da Covid-19 nos 22 municípios que  integram a entidade. A comprovação que se teve é que a contaminação segue em alta, totalizando 1.938 novos casos e 16 óbitos nos últimos 7 dias. Em comparação com a última semana haviam sido contabilizados 1.442 casos novos e 12 óbitos. Todos os 22 municípios apresentaram novos casos nos últimos sete dias e todos têm casos ativos.   

Pelotas, que assim como Rio Grande é referência no tratamento para Covid-19, apresentou neste período 931 novos casos de pessoas contaminadas. No entanto cidades como Pedras Altas, Cerrito e Amaral Ferrador despontam em percentuais de novos casos com um acréscimo de  75%, 63,6% e 50,9% respectivamente despontam com percentuais de novos casos.

Cerrito passou de 44 para 72 pessoas infectadas e registrou nesta semana a primeira morte por Coronavírus. Dois óbitos ocorreram em Canguçu, sete em Pelotas, quatro em Rio Grande, um em São José do Norte  e outro em Arroio Grande. 

Para o coordenador do Comitê  Regional de Enfrentamento ao Covid-19 e prefeito de Jaguarão, Favio Tellis é necessário atacar o problema no foco do problema. “Devemos usar  estratégias assertivas e intensificar as fiscalizações para buscar a conscientização das pessoas”, disse. 

O grupo coordenado pela Azonasul se reuniu de forma virtual na manhã desta sexta-feira  e  entre várias determinações definiu que equipes de saúde devem voltar a restringir procedimentos eletivos para liberal leitos. Foi  sugerido que o Consorcio Público Extremo Sul realize uma licitação para a tomada de preços de vitamina D e demais medicamentos para que posteriormente prefeituras possam adquirir. 

Também ficou definido que será estabelecido um protocolo medicamentoso regional e que quando a região for classificada em bandeira vermelha será adotada a cogestão em formato híbrido, permitindo atividades no setor produtivo e mantendo algumas restrições previstas nesta modalidade no Sistema Estadual de Distanciamento Controlado. Uma nova reunião com a participação de Secretários de Saúde, Prefeitos, Coordenadoria Regional de Saúde para debater novas estratégias coletivas está marcada para esta segunda-feira, às 9h30min.

Fechar espaços públicos 

Em Pelotas, para tentar frear o avanço do vírus nesta quinta-feira, a Prefeitura  decretou novamente fechar os espaços públicos. Com isto fica proibida a permanência de pessoas em praças, parques, praias e respectivas orlas, calçadões e assemelhados. Só é admitido transitar pelos locais para prática de atividades físicas desde que de forma individual ou em duplas. A partir do decreto o Parque da Baronesa foi fechado. Em Pelotas 181 pessoas já perderam a vida para o coronavírus. 

Na tarde desta sexta-feira, todos os leitos de UTI Covid-19 estavam ocupados. O comitê técnico da Universidade Federal de Pelotas (Ufpel) lançou uma nota ressaltando a necessidade ação imediata frente a situação atual da pandemia na cidade. Pelo documento não basta apenas testar a  população. “É fundamental o isolamento por 14 dias de casos e contatos. Para a população vulnerável é necessário providenciar adequada proteção social para viabilizar o isolamento”, diz a nota. 

Veja Também

O comitê da universidade também solicita que casos positivos devem ser claramente orientados sobre isolamento e monitorados pelos serviços de saúde.  Para o grupo o abrandamento de medidas  de distanciamento, o esgotamento da população quanto ao isolamento social somado a feriados e a campanha eleitoral foram as causas do aumento expressivo de novos casos e internações na cidade. “Responsabilizar apenas a população pelos cuidados  não é justo. Medidas precisam ser tomadas com urgência. Sabe-se as consequências sociais e  econômicas de novas medidas restritivas. Mediante a falta de capacidade total de atendimento da população, novamente a prioridade imediata precisa ser a defesa da vida”, finaliza a nota. 

Atualmente em Pelotas há 1966 pessoas em isolamento, conforme os dados da prefeitura. Em Rio Grande, com 75% dos leitos de UTI  e 60% dos leitos clínicos destinados a pacientes com Covid ocupados na tarde desta quinta-feira e o crescimento do número de casos positivos a posição da prefeitura vai de  acordo com a determinação do Comitê Técnico em Saúde, solicitando que não sejam organizados eventos que causem aglomeração de pessoas. 

“Estamos intensificando o monitoramento de todos que estão reconhecidamente com o coronavírus e que estão em situação de risco. Além disso, por meio dos protocolos firmados entre os hospitais e atenção básica queremos dar maior fluidez e celeridade para identificar casos que mereçam internação e acompanhamento mais  próximo visando evitar propagação do vírus e o aumento no número de óbitos”, disse o prefeito Alexandre Lindenmeyer.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895