Defesa Civil auxilia na remoção de famílias em área alagada de Santa Cruz do Sul

Defesa Civil auxilia na remoção de famílias em área alagada de Santa Cruz do Sul

Nas últimas 36 horas o acumulado de água no município chegou a 140 milímetros

Por
Otto Tesche

Entre os desalojados encontram-se crianças e idosos com dificuldade de locomoção


publicidade

A chuva causou o alagamento de parte do bairro Várzea, em Santa Cruz do Sul. O rio Pardinho transbordou por volta das 23h de terça-feira e causou transtornos aos moradores da área. Na manhã desta quarta-feira, a Defesa Civil atuou na remoção de famílias da rua Irmão Emílio, próximo à Praia dos Folgados, cujas residências foram invadidas pela água. A água invadiu parte das residências em pontos mais baixos. Nas últimas 36 horas o acumulado no município chegou a 140 milímetros.

A Defesa Civil utilizou um caminhão da Prefeitura no transporte dos moradores, que foram levados para a Escola Municipal de Ensino Fundamental (Emef) Guido Herberts, onde permanecerão alojados até que o nível do rio recue e eles possam retornar para suas casas. Entre os desalojados encontram-se crianças e idosos com dificuldade de locomoção. Até o final da manhã cerca de 25 pessoas foram removidas.

A Secretaria Municipal de Políticas Públicas e Assistência Social (Sepas), por determinação do prefeito Telmo Kirst, vai ajudar com a distribuição de refeições e também com agasalhos para os que necessitarem. E caso as famílias precisem pernoitar na escola, a Defesa Civil vai fornecer colchonetes e cobertores.

A dona de casa Franciele dos Santos Corrêa, 22 anos, chegou na escola junto com o companheiro, um sobrinho e um bebê de um ano e sete meses. Ela já havia saído de casa para se abrigar na residência da mãe, que mora em uma parte mais alta da rua, porém ali a água também acabou entrando. Franciele já perdeu a conta de quantas vezes passou pela mesma situação. “Já estou acostumada, mas com criança essa é a primeira vez”, contou.

O coordenador da Defesa Civil no município, tenente Barbosa, disse que, embora a chuva fosse mais fraca no início da manhã desta quarta-feira, ainda vai descer muita água, o que pode elevar o nível do rio Pardinho, causando alagamentos em mais residências. “Foi muito grande o acumulado pluviométrico e desta vez está sendo um pouco atípico por que na cabeceira, em Sinimbu, o Pardinho ainda não saiu e aqui ele já transbordou, atingindo ruas que dificilmente em outras épocas de cheia alagariam”, disse.


Outros pontos atingidos no município foram a Travessa Daer, onde residem 18 famílias, o Corredor Morsch, onde moram sete famílias, e a localidade de Rio Pardinho, no interior. Nessa última, o Corpo de Bombeiros fez a retirada de um casal.