Esteio registra primeiro caso autóctone de febre chikungunya no RS
capa

Esteio registra primeiro caso autóctone de febre chikungunya no RS

Segundo a Secretaria Estadual da Saúde, a mulher não tem histórico de viagem

Por
Correio do Povo

publicidade

O Centro Estadual de Vigilância em Saúde (Cevs) confirmou nesta quinta-feira um caso de febre chikungunya em uma mulher residente de Esteio. É o primeiro registro no ano em que a contaminação ocorre dentro do Rio Grande do Sul. Segundo a Secretaria Estadual da Saúde (SES), a pessoa não tem histórico de viagem. No dia 21 de março, ela começou a sentir sintomas de dores nas articulações, músculos e irritações na pele. Neste ano, um caso importado, com transmissão fora do RS, já havia sido confirmado, em um residente de Porto Alegre.

A Secretaria Municipal de Saúde intensificou as ações preventivas e de monitoramento, realizando a varredura por locais com água parada, onde o mosquito transmissor da doença, o Aedes aegypti, se reproduz.

A infecção por chikungunya começa com febre, dor de cabeça, mal-estar, dores pelo corpo e muita dor nas articulações, em geral, dos dois lados, podendo também aparecerem manchas vermelhas ou bolhas pelo corpo. A forma mais eficaz de prevenção é evitar a proliferação do inseto, eliminando água armazenada que pode se virar criadouros.