Familiares das vítimas da Kiss poderão consultar advogados sobre futuro do processo na Justiça
capa

Familiares das vítimas da Kiss poderão consultar advogados sobre futuro do processo na Justiça

Tragédia em Santa Maria deixou 242 mortos e mais de 600 feridos

Por
Renato Oliveira

Tragédia da boate Kiss ocorreu em 2013

publicidade

Os advogados Ricardo Breier e Pedro Barcellos Jr. estarão à disposição de familiares das vítimas da tragédia da Boate Kiss para falar sobre os próximos passos que deverão ser tomados em relação ao processo criminal. O encontro será às 14h desta quinta na sede da Associação dos Familiares de Vítimas e Sobreviventes da Tragédia de Santa Maria (AVTSM), localizado no prédio da antiga reitoria da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), na Rua Floriano Peixoto, 1.184, sala 601, no Centro do município. 

As dúvidas serão principalmente sobre o veredito unânime da Sexta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ), em Brasília, que decidiu que o caso da boate Kiss vai para júri popular. Na ocasião, os ministros Rogerio Schietti Cruz (relator), Nefi Cordeiro (presidente), Laurita Vaz e Antonio Saldanha Palheiro votaram a favor do recurso interposto pelo Ministério Público do Rio Grande do Sul (MP-RS) e pela Associação de Vítimas e Sobreviventes da Tragédia de Santa Maria (AVTSM).

Da decisão da Sexta Turma do STJ ainda cabe recurso ao plenário da Corte e ao Supremo Tribunal Federal (STF). Se for mantido o entendimento do STJ, o processo volta para Santa Maria para que o titular da 1ª Vara Criminal de Santa Maria, Ulysses Louzada, defina a data do júri. O incêndio, ocorrido em 27 de janeiro de 2013, deixou 242 mortos e mais de 600 feridos. Os réus no caso são dois ex-sócios da casa noturna e dois integrantes da banda que se apresentava na noite da tragédia.