Foz do Chapecó alerta para cuidados ao navegar pelo reservatório da usina

Foz do Chapecó alerta para cuidados ao navegar pelo reservatório da usina

Empresa pede respeito a sinalização entre Alpestre, no Rio Grande do Sul, e Águas do Chapecó, em Santa Catarina

Agostinho Piovesan

Cabos sinalizam locais que são proibidos por causa do risco de acidente

publicidade

A Foz do Chapecó Energia iniciou uma campanha visando alertar as pessoas quanto aos cuidados que devem ter ao navegar nas águas do lago da usina, no rio Uruguai, entre Alpestre, no Rio Grande do Sul, e Águas do Chapecó, em Santa Catarina. A empresa alerta quanto aos cuidados e respeito aos limites e sinalizações, seja por barcos motorizados, lanchas, motos aquáticas ou apenas por caícos.

O diretor da Foz do Chapecó Energia, Otávio Luiz Rennó Grilo disse que, com o registro de clima mais quente, aumenta o número de embarcações no reservatório da usina.  Ele informa que em rios que desaguam no reservatório, como o Tigre e o Chalana, localizados em Guatambu e Chapecó, respectivamente, existem cabos de contenção de macrófitas, que são plantas aquáticas conhecidas na região como marrequinhas.  Esses cabos são importantes para ‘segurar’ as plantas.

“Nossos técnicos salientam que as macrófitas, naqueles pontos, contribuem para a qualidade da água, já que ajudam a filtrar a matéria orgânica e o rompimento do cabo fará com que as macrófitas se espalhem no reservatório e sua proliferação pode causar um desequilíbrio, prejudicando a qualidade da água, dificultando a navegação e causando impacto nos peixes”, observa Otávio Luiz Rennó Grilo.

A empresa alerta para as ‘paradinhas’ nas margens do lago, pois não é permitido acampar e nem fazer fogueiras nas áreas que circulam o lago, por serem Áreas de Preservação Permanente (APP) e protegidas por lei. Outro cuidado para quem navega no rio Uruguai é não ultrapassar as zonas de exclusão da hidrelétrica. Esses locais compreendem áreas do lago próximas aos vertedouros, tanto abaixo quanto acima da barragem e próxima a saída de água da casa de força. Os locais estão sinalizados e são proibidos por causa do risco de acidente.

A empresa orienta, ainda, sobre os cuidados ao navegar, para não romper cabos que estejam no reservatório e seus afluentes, não navegar próximo aos vertedouros, tanto abaixo quanto acima da barragem ou próximo a casa de força, respeitando a sinalização, não acampar na margem e nem fazer fogueira. Em caso de dúvidas as pessoas devem entrar em contato com a Foz do Chapecó, pelo (48) 99126.1355.


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895