Milonga “Peão Mensual por Ofício” é a campeã da 41ª Coxilha Nativista

Milonga “Peão Mensual por Ofício” é a campeã da 41ª Coxilha Nativista

Músicas finalistas farão parte de DVD

Felipe Dorneles

Canção campeã é interpretada por Cristiano Fantinel, com letra e música de Jari Terres

publicidade

A milonga Peão Mensual por Ofício foi a grande vencedora da 41ª edição da Coxilha Nativista, em Cruz Alta. Interpretada por Cristiano Fantinel, a letra e música de Jari Terres, levou o troféu Érico Veríssimo. A composição também levou o prêmio de melhor arranjo. Foram quatro noites de espetáculos, comemorativos aos 200 anos de Cruz Alta.

Por conta da pandemia da Covid-19, o festival não contou com a presença de público. As apresentações foram transmitidas pelas redes sociais diretamente do Clube Arranca.

Em segundo lugar ficou Milonga de Bibiana, interpretada por Lu Schiavo, letra de Marcelo Dávila e Telmo Vasconcelos e música de Eduardo Monteiro. A composição também levou o prêmio de melhor melodia e melhor conjunto vocal. O terceiro lugar é da milonga Protagonistas, interpretada por Pirisca Greco, Ângelo Franco e Lincon Ramos, letra e música de Carlos Eduardo Nunes. A música mais popular ficou com Entre o Lajeado e a Cruz, interpretada por Fabi Lamaison, letra de Bárbara Lopes Moraes e música de Fabi Lamaison.

O prêmio Melhor Pesquisa alusiva aos 200 anos de Cruz Alta foi para De Comitivas e Tropas, interpretada por André Teixeira, letra de Osmar Proença e música de Igor Silveira e Marcelinho Carvalho. A canção também levou o prêmio de melhor indumentária. A melhor interprete do festival foi Lu Schiavo e melhor instrumentista, Marcelinho Carvalho. A melhor letra foi para O Que Me Tira de Casa, de Eduardo Muñoz e Fábio Maciel.

Todas as músicas finalistas estarão no DVD da 41ª Coxilha Nativista. O festival ocorre há 41 anos sem interrupções, e leva a música nativista para todo o Brasil.

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895