Nível do Rio do Sinos sobe após cinco meses em estado crítico
capa

Nível do Rio do Sinos sobe após cinco meses em estado crítico

Conjunto de ações garantiu o fornecimento de água no período de estiagem

Por
Stephany Sander

Chuvas que chegam ao Estado são muito importantes para o manancial

publicidade

Após cinco meses em estado crítico, o Rio do Sinos atingiu na manhã desta sexta-feira a marca de 1,90 metros no ponto de captação da Elevatória de Água Bruta (EAB) do Semae, em São Leopoldo. Este nível havia sido registrado pela última vez no dia 8 de dezembro, ainda na primavera, há 166 dias.

Conforme o diretor-geral da autarquia, Anderson Etter, a chuva que chegou ao Estado é muito importante para o manancial. "Na medida certa, toda chuva é bem-vinda. A estiagem que enfrentamos não tem precedentes no Estado. Passamos por um verão praticamente sem precipitações. Vale salientar que, apesar disso, o abastecimento em nosso município não foi afetado", destacou.

Etter afirmou que os investimentos realizados no novo sistema de captação do Semae, colocado em operação em abril de 2017; junto com intervenções do Programa Semae Sustentável, reduziram as perdas físicas de água em 37% na cidade, e as obras do Programa de Substituição de Redes formam o conjunto de ações que garantiram o fornecimento de água aos moradores mesmo no período de estiagem deste ano. "Lidamos com a estiagem e, agora, com a pandemia. Portanto, é o momento em que a essencialidade da água fica ainda mais evidente. Precisa ainda da colaboração quanto ao uso consciente deste recurso, sem desperdício", concluiu.

Em Novo Hamburgo, segundo a Defesa Civil, o nível do Sinos segue em elevação e já chega a três metros.