Pacientes não comparecem a exames de mamografia em São Borja
capa

Pacientes não comparecem a exames de mamografia em São Borja

Em 2018, 382 pessoas não compareceram ao exame, quase 13% dos agendamentos

Por
Fred Marcovici

publicidade

A Unidade de Regulação de Média e Alta Complexidade (MAC), ligada à Secretaria de Saúde de São Borja, na Fronteira Oeste do Estado, alerta que exames de mamografia são solicitados e depois não realizados pelas pacientes.

No ano passado foram 3.124 mamografias agendadas e apenas 2.742 efetivamente realizadas. “É uma pena. Exames agendados e não realizados resultam em desperdício de serviço público e ainda, o mais grave, retardar a chance de outra pessoa ser examinada", lamenta a coordenadora do MAC, enfermeira Mariane Donato.

O agendamento mensal é, em média, de 300 mamografias, mas estimativa é que cerca de 20% delas terminem não sendo realizadas. Para evitar o problema o MAC intensifica a campanha de orientação às equipes das Estratégias de Saúde da Família (ESFs), onde começa a solicitação dos exames. Está planejada uma ação conjunta com duas finalidades principais. Uma delas é demonstrar que a realização da mamografia é necessária e, além disso, o procedimento é rápido, sendo realizado muitas vezes no mesmo dia. A outra finalidade é conscientizar aos pacientes que eles não podem deixar de fazer os exames que forem marcados.

A intermediação e regulação das mamografias são feitas por meio das ESFs, do MAC e demais unidades de saúde. Já os exames são realizados no Centro de Diagnóstico por Imagem (CDI) do Hospital Ivan Goulart, que dispõe de serviço especializado, inclusive pelo Sistema Único de Saúde (SUS).