Prefeitura negocia implantação do serviço de cirurgia cardíaca em Santa Rosa

Prefeitura negocia implantação do serviço de cirurgia cardíaca em Santa Rosa

Instituto de Cardiologia atua em parceria com o município na estruturação do serviço

Felipe Samuel

Anderson Mantei também visitou o Correio do Povo, onde foi recebido pelo diretor presidente do jornal, Sidney Costa

publicidade

Com objetivo de avançar nas negociações para a implantação do serviço de cirurgia cardíaca e tratamento de doenças do coração em Santa Rosa, o prefeito Anderson Mantei reuniu-se ontem com a direção do Instituto de Cardiologia, em Porto Alegre. A instituição atua em parceria com o município na estruturação do serviço, que deve ser oferecido ainda este ano na cidade localizada na região Noroeste. O prefeito também visitou o Correio do Povo, onde foi recebido pelo diretor presidente do jornal, Sidney Costa.

Ao destacar que a região tem carência desse tipo de serviço, Mantei afirma que a ideia é suprir a necessidade da cidade e de municípios vizinhos. Conforme Mantei, o Instituto de Cardiologia vai 'levar a sua experiência, seu conhecimento e seus profissionais' para implantação desse serviço em Santa Rosa, no Hospital Vida e Saúde. "Vai atender toda região que não tem suficiência do serviço, sem contar que vai gerar 400 vagas de trabalho, desenvolvimento e renda", observa.

Atualmente, pacientes que precisam de tratamento do coração ou necessitam de cirurgia cardíaca recorrem a centros de saúde mais desenvolvidos. "Isso provoca uma dificuldade muito grande para as famílias, principalmente quando alguém precisa ser transportado para Passo Fundo ou Porto Alegre para fazer cirurgia cardíaca ou tratamento cardíaco", completa. As melhorias vão reforçar o sistema de saúde de Santa Rosa, que já conta com boa infraestrutura.

Conforme Mantei, desde o início da pandemia do novo coronavírus, a cidade reforçou o número de leitos clínicos e de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs), organizando um centro de tratamento de doenças pulmonares e de Covid-19. Os leitos de UTIs para Covid-19 passaram de 10 para 40, assim como os leitos clínicos, que passaram para 30. O corpo clínico também recebeu reforços. "Os leitos de UTIs são utilizados na plenitude", completa. Ele destaca ainda a redução do número de novos infectados nas últimas semanas.

Por conta da capacidade de atendimento da saúde, Mantei revela que durante a pandemia a situação está bem controlada na cidade. "Tivemos queda muito grande nos contaminados da semana. Chegamos a ter, seis semanas atrás, 661 contaminados na semana. Nas duas últimas, tivemos 200. Caiu muito, e caindo o número de contaminados vai reduzindo necessidade de leitos clínicos e de UTI", ressalta. Ele defende ainda o retorno às aulas nas séries iniciais. "As crianças têm prejuízo enorme, incalculável, de um ano afastadas das escolas, aonde estão seguras, recebendo conhecimento, alimentação, praticando esportes", sustenta.

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895