Prejuízo com estiagem chega a R$ 147 milhões em Encruzilhada do Sul

Prejuízo com estiagem chega a R$ 147 milhões em Encruzilhada do Sul

Problemas atingem a produção agrícola e pecuária e pode haver racionamento de água

Correio do Povo

publicidade

A escassez de chuva desde novembro já trouxe mais de R$ 147 milhões de prejuízo ao município de Encruzilhada do Sul. O prefeito Artigas Teixeira da Silveira assinou na quarta-feira o decreto de situação de emergência por estiagem e exaurimento de recursos hídricos após receber o levantamento da Emater/RS-Ascar, Secretaria de Agropecuária, Companhia Riograndense de Saneamento (Corsan) e Sindicato dos Trabalhadores Rurais. Os maiores problemas atingem a produção agrícola e pecuária, mas também poderá ser necessário adotar racionamento de água.

No período de Carnaval, a Corsan informou que havia risco de a área urbana ficar sem abastecimento devido à queda no nível da barragem da Rondinha. A prefeitura conseguiu amenizar a situação com a transposição da água do açude do Alto do Renner para o sistema. Mas a situação ainda é preocupante, pois a última medição da barragem apontou 1,5 metro de nível, bem abaixo dos 2,38 m que determinam o estado de alerta.

A maior parte dos dados já foi cadastrada no sistema da Defesa Civil do Estado visando à homologação do decreto. A Coordenação Municipal da Defesa Civil instaurou gabinete de emergência juntamente com a Secretaria de Transportes, Emater, Secretaria de Agropecuária, Corsan e Sindicato dos Trabalhadores Rurais. Segundo o secretário de Obras, Jorge André Barra Cardoso, nesta semana aumentou a procura por ajuda com máquinas da prefeitura para busca por fontes de água e abertura de cacimbas no interior. Nos campos, o capim está secando.

Cardoso afirma que a chuva de terça-feira e ontem não foi suficiente para o acúmulo de água. Ressalta que o município vai tentar ajuda do Estado para fornecimento de caixas d’água e um caminhão-pipa. Também vai buscar o apoio do Ministério da Integração Nacional para a cedência de máquinas ou óleo diesel.  

Mais decretos homologados pelo Estado

Na quarta-feira, mais quatro decretos de situação de emergência em razão da estiagem foram homologados pelo Estado. Os documentos são de Canguçu, Cerro Grande do Sul, Arroio do Padre e São Jerônimo, que registram problemas nas áreas urbana e rural. As prefeituras de Cristal, Amaral Ferrador, Hulha Negra e Morro Redondo já tiveram os decretos homologados pelo Estado e reconhecidos pela União. Houve ainda a homologação da situação em Pedras Altas.

Os municípios de São Lourenço do Sul, Pinheiro Machado, Piratini, Jaguarão Turuçu, Cerrito, Camaquã, Herval e Chuvisca também registram prejuízos e transtornos devido à falta de chuvas. Em Bagé, com situação de emergência decretada, prossegue o racionamento. Das 3h às 15h a metade Oeste da cidade recebe água e, das 15h às 3h, é a vez da zona Leste. Na quarta, o Departamento de Água, Arroios e Esgoto de Bagé reativou mais um poço artesiano no bairro Malafaia. Os níveis dos reservatórios do município seguem baixando. Nesta quinta-feira, em São Lourenço do Sul, secretarias e órgãos do Estado reúnem-se com prefeitos e coordenadores da Defesa Civil dos municípios mais atingidos pela estiagem. O encontro será às 14h, no Sindicato Rural.



publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895